Série documental da Netflix aborda o desaparecimento da menina Madeleine McCann

A criança de três anos desapareceu em 2007, durante as férias da família em Portugal

Foto: divulgação.//

A menina inglesa Madeleine McCann desapareceu aos três anos, durante as férias da família na Praia da Luz, em Portugal, no ano de 2007. O caso, amplamente divulgado e com cobertura extensa da imprensa mundial, agora é série documental na Netflix.

“O desaparecimento de Madeleine McCann” leva ao público detalhes das investigações, depoimentos da polícia, de turistas e jornalistas que cobriram o caso. O primeiro episódio aborda o desaparecimento garota, do seu quarto de hotel no Ocean Club, enquanto os pais jantavam em um restaurante há poucos metros dali. A ótica desse primeiro capítulo é conforme a narrativa dos pais, principalmente com a mãe Kate, que diz ter chegado ao quarto para conferir se os filhos estavam bem e se deparou com a janela aberta e a cama de Maddie vazia.

A produção conta com mais de 40 participantes e imagens de arquivos da polícia e também de emissoras de TV, além de cenas reencenadas. Os pais de Madeleine, Kate e Gerry, não quiseram participar.

O enredo todo é envolvente, embora acabe abordando outros caos de desaparecimento, mas que não tiveram a mesma atenção do público. Isso torna os episódios um pouco mais longos do que deveriam ser.

Um dos pontos mais interessantes da série é quando a polícia resolve utilizar dois cachorros treinados em identificar cheiro de cadáver e sangue, para farejar o apartamento de onde Maddie sumiu, e também o que o casal ficou durante as investigações. Os animais identificam ambos odores: o cadavérico e de sangue. O problema é que não há rastros de nenhum dos dois fatores. Isto não comprova o envolvimento dos pais, mas levanta fortes suspeitas.

É a partir do episódio 3, intitulado “Pacto de Silêncio’’, que começam a ser apontados indícios mais fortes de que o casal McCann estaria envolvido no desaparecimento da filha. Mas, como o caso nunca foi resolvido, nenhuma conclusão é apresentada. Os fatos são postos ao espectador que acaba por deduzir o que acha que teria acontecido.

A série documental tem uma temporada com oito episódios de 55 minutos cada. A realização é do norte-americano Chris Smith.