Contratações de crédito do BNDES Emergencial para o RS começam na quarta

Poderão ter acesso ao crédito de R$ 15 bilhões aqueles com negócios localizados na área da mancha

Crédito: Mauricio Tonetto/Secom

A partir desta quarta-feira, 10, as instituições financeiras que são parceiras do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) farão as primeiras contratações de crédito com pessoas jurídicas de direito privado de todos os portes (inclusive cooperativas), produtores rurais, transportadores autônomos de carga e empresários individuais do Rio Grande do Sul. Poderão ter acesso às linhas de crédito no valor total de R$ 15 bilhões aqueles com negócios em áreas efetivamente atingidas pelos eventos climáticos extremos e que tenham sofrido perdas materiais

A avaliação da área respeitarpa delimitação georreferenciada e realizada pela Empresa de Tecnologia e Informação da Previdência (Dataprev S.A.), conforme a Portaria do Ministério da Fazenda nº 1.098, de 04 de julho de 2024. O Programa BNDES Emergencial para o Rio Grande do Sul tem como objetivo viabilizar a manutenção da capacidade produtiva, o emprego e a renda para empreendimentos afetados pelos extremos climáticos.

São três linhas de financiamento: Máquinas e Equipamentos, para financiamento à aquisição de máquinas e equipamentos para recompor a capacidade produtiva; Investimento e Reconstrução, para financiamento a projetos de investimento, como construção ou reforma de fábricas, galpões, armazéns, estabelecimentos comerciais, etc e Capital de Giro, para apoio financeiro para necessidades imediatas, como pagamento da folha e de fornecedores, recomposição de estoques e demais gastos para a manutenção e retomada das atividades.

CONDIÇÕES

As condições financeiras são vantajosas aos beneficiários. A linha Máquinas e Equipamentos possui taxa de juros de até 0,6% ao mês, prazo de pagamento de até 5 anos (com até 1 ano de carência) e valor máximo de crédito por cliente de até R$ 300 milhões. Na linha Investimento e Reconstrução, a taxa de juros é de até 0,6% ao mês, com prazo de pagamento até 10 anos (com até dois anos de carência) e valor máximo de crédito por cliente é de até R$ 300 milhões. E, na linha Capital de Giro, a taxa de juros é de até 0,9% ao mês, o prazo de pagamento de até 5 anos (com até 1 ano de carência) e o valor máximo de crédito por cliente de até R$ 400 milhões.

O BNDES aprovou a suspensão completa de pagamentos por 12 meses, bem como alongou, pelo mesmo prazo, os financiamentos para clientes de cidades atingidas pelos desastres. A medida representa um alívio financeiro de R$ 6,9 bilhões em prestações, que poderão ser suspensas de uma carteira total de crédito para o estado de R$ 48,1 bilhões.

Para ampliar acesso ao crédito para micro, pequenas e médias empresas, o BNDES disponibilizou, no âmbito do FGI Peac Crédito Solidário RS, mais de R$ 500 milhões em garantias para novos financiamentos, com potencial de viabilizar até R$ 5 bilhões em operações. A instituição também prorrogou o prazo de embarque de exportações, no âmbito da linha BNDES Exim Pré-embarque, por até 12 meses, das operações com prazos de embarque entre maio de 2024 e dezembro de 2025.

“O BNDES não tem poupado esforços e trabalho para a reconstrução econômica do Rio Grande do Sul, recuperando os empregos, salários e reconstruindo com plenitude a vida da população gaúcha”, afirma a diretora de Crédito Digital para MPMEs do Banco, Maria Fernanda Coelho.