FEDERASUL se une ao Instituto Ling na reconstrução do Estado

Reconstrói RS inclui também a parceria do Instituto Cultural Floresta

A cidade é a terceira mais populosa do RS - Foto: Jurgen Mayrhofer / GOV-RS / Divulgação

Idealizado pelo Instituto Ling, que convidou a FEDERASUL para ser parceira, o programa Reconstrói, recebeu R$ 50 milhões da família Ling e já ganhou a adesão das Lojas Renner, de Salim Mattar (fundador da Localiza) e de Jayme Garfinkel (controlador da Porto Seguro). O movimento será crucial para os próximos passos do Rio Grande do Sul, principalmente depois que a água baixar. “Ele vai atuar no próximo passo”, diz o presidente do Instituto Ling, William Ling. Já, o presidente da FEDERASUL, Rodrigo Sousa Costa, lembrou da necessidade de reconstrução.

Os recursos serão destinados às comunidades que trabalham em reparos emergenciais de suas cidades e regiões. Através de sua rede de 194 Associações Comerciais virão as definições dos projetos prioritários para a reconstrução do Rio Grande do Sul depois da maior enchente da história do Estado. O Instituto Ling vai aportar inicialmente R$ 50 milhões para as obras mais urgentes. Esse valor, entretanto, deve aumentar porque estão sendo feitas captações também internacionais.

A ideia é que as lideranças empreendedoras vinculadas às Associações Comerciais coordenem discussões nos municípios atingidos e definam suas obras prioritárias. Ao serem encaminhados (depois de passar por avaliações de governança da FEDERASUL), os projetos devem ser rapidamente analisados para dar agilidade à tramitação. Todos os projetos devem possuir registro de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) e cronograma físico-financeiro. Será necessário que o grupo de lideranças empresariais (proponentes) façam um aporte inicial que poderá ser de 50%, 2/3 ou 80% do valor total da obra, dependendo do volume de recursos que os municípios conseguirem reunir.

O presidente da FEDERASUL, Rodrigo Sousa Costa, disse que a intenção é valorizar os empreendedores ao chamar para si o protagonismo das soluções. Acrescentou que a iniciativa ao mesmo tempo estimula o espírito comunitário e o associativismo e desperta a capacidade empreendedora das pessoas. Segundo Costa essa ação terá um poder revolucionário, pois trará resultados concretos a partir de uma tragédia em que é precisar trabalhar muito e reunir esforços para superar.