Aplicativo oferece triagem e encaminhamento de desabrigados aos serviços de saúde do RS

Solução foi desenvolvida pela startup WebMed, que faz parte do ecossistema do Tecnopuc

Médicos, instituições e profissionais de saúde se uniram ao setor de inovação e tecnologia para facilitar o atendimento a quem está nos abrigos, devido às enchentes no Estado. Por meio de um questionário on-line, os abrigados poderão apresentar seus sintomas e solicitar avaliações e encaminhamentos para pediatras, dermatologistas e psiquiatras, entre outras especialidades. Também será possível requisitar atestados, receitas e medicamentos. Mais de 300 médicos já estão cadastrados para iniciarem os atendimentos.

O aplicativo que viabiliza essa demanda, denominado Shortmed, está integrado com a plataforma de telemedicina do Grupo Doc, que já conta com mais de 5.000 profissionais da saúde, nas mais diferentes especialidades. Novos profissionais estão aderindo à iniciativa a todo momento.

A solução, desenvolvida pela startup WebMed, que faz parte do ecossistema do Tecnopuc (Parque Científico e Tecnológico da PUC-RS), em Porto Alegre, é uma adaptação desse aplicativo que a healthtech já possui, o ShortMed. Essa versão customizada, o ShortMed SOS Enchentes, é totalmente gratuita e ligará os pacientes a médicos voluntários do Brasil inteiro, chancelados por importantes associações profissionais, como a Associação Médica do Rio Grande do Sul (Amrigs) e Simers, além de hospitais e clínicas. Também estão apoiando a iniciativa a Assembleia Legislativa, a Secretaria de Inovação de Porto Alegre, entre outros.

“Vendo o número crescente de desabrigados por causa das cheias no Estado, na segunda-feira, nos reunimos para achar uma forma de ajudar, usando a tecnologia. Com a ferramenta, pessoas que estão em situação de vulnerabilidade social poderão ser atendidas nos abrigos, de forma on-line ou presencial, de forma rápida e simples, e também encaminhadas imediatamente a uma instituição de saúde, caso seja necessário”, explica Luciano Lorenz, CEO e founder da WebMed. A startup tem trabalhado de forma ininterrupta e voluntária nos últimos dias, e a ferramenta já foi entregue na sexta-feira (10).

A agilidade da tecnologia permitirá atendimento e encaminhamento imediatos em um momento no qual a demanda e as necessidades dos desabrigados são enormes. Quando a água baixar nas cidades, por exemplo, há o temor de que os casos de leptospirose se multipliquem. Como se trata de uma doença que pode ser mortal, a rapidez no diagnóstico e no atendimento é essencial.

FUNCIONAMENTO

Os abrigos receberão tótens ou cartazes com o QR Code que traz o link para um formulário simples para inserção de dados do paciente, incluindo nome e número de celular e um questionário breve (média de duas perguntas), que municiará o médico sobre o que a pessoa está sentindo ou precisando, no momento. O profissional da saúde receberá por WhatsApp os pedidos de atendimento dos cidadãos; em paralelo, a WebMed disponibilizará a ele um aplicativo gratuito para acompanhá-los.

Em todos os sites dos parceiros da iniciativa também haverá a possibilidade de fluxo para cadastro de profissionais voluntários, devidamente habilitados, assim como usuários que necessitarem de triagem e atendimento. Portanto, qualquer pessoa do Estado, que foi atingida pela tragédia, poderá realizar a triagem e solicitar atendimento voluntário.

Desabrigados, médicos e psicólogos já podem acessar a plataforma pelos links

Desabrigados: https://shortmed.com.br/home/enchente/sos-enchente/

Médicos e psicólogos: https://admin.shortmed.com.br/cadastro/enchente

Ao acessar o QR Code ou link, o que não precisa ser feito no próprio celular da pessoa que está precisando de atendimento, o abrigado preencherá seus dados e responderá ao questionário, enviando as informações ao médico cadastrado mais próximo e livre para recebê-las. Os dados do abrigado chegam até o médico por meio de um aplicativo e o alerta é recebido no WhatsApp e e-mail do profissional.

De posse das informações, o médico avalia a situação e depois recomenda o que deve ser feito pelo paciente, envia receitas, atestados ou encaminhamentos a ele e, se for constatada urgência, já aciona, de forma on-line, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a instituição de saúde que receberá o paciente, tendo como base o atendimento de telemedicina, prescrição médica e todas as demais funcionalidades de atendimento, embarcadas na Teledoc / Grupo DOC.

A segunda fase da ShortMed SOS Enchentes, programada para ser entregue até dia 15 de maio, incluirá a customização do chatbot da WebMed para que os profissionais de saúde aceitem ou não os futuros pacientes e os direcionamentos dos usuários, de acordo com alguma das especialidades: dermatologia, pediatria, psiquiatria, médico de família e psicologia, como também a integração do fluxo de triagem ao atendimento, com a telemedicina da Teledoc.

Para o início desta semana, está programado o cadastramento de 54 especialidades médicas no ShortMed SOS Enchentes e também no Grupo Doc (Teledoc). Essa integração, fornecida pela Amrigs, tem previsão de encerramento nesta quarta-feira, 15.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com