Gabinete de Crise volta a emitir Aviso para a região de Capão da Canoa

Área registrou, novamente, piora relacionadas ao número de casos e de internados em leitos de UTI por coronavírus

Litoral Norte foi a única região Covid que registrou piora nos indicadores da pandemia | Foto: Mauro Schaefer / CP

Pela terceira semana consecutiva, o Grupo de Trabalho de Saúde (GT) decidiu emitir um Aviso, no Sistema 3As de Monitoramento da pandemia, para a região Covid de Capão da Canoa. A decisão, divulgada nesta quarta-feira, é justificada pelo fato de a área do litoral Norte ter apresentado piora em alguns indicadores em relação à semana anterior, como número de casos confirmados e de internados em leitos de UTI por coronavírus.

A região registrou incidência, até a última segunda, de 210,3 novos casos confirmados a cada 100 mil habitantes na última semana. Essa incidência representa a maior do Rio Grande do Sul, entre as 21 regiões Covid, sendo equivalente a três vezes a média estadual.

Outro indicador que apresentou piora é o de internações em leitos de UTI, com aumento de 25% entre suspeitos e confirmados com Covid. Contudo, as hospitalizações em leitos clínicos caíram 3,7%. Ou seja, após elevação por duas semanas seguidas, houve estabilidade na última semana. Esse fator, combinado com a queda na taxa de mortalidade, acabou sendo determinante para a área não receber um Alerta, em vez de um Aviso, do GT Saúde.

“O quadro do Estado como um todo é de estabilidade. As projeções apontam a manutenção do número de internados que temos hoje, tanto em leitos clínicos como em UTIs. Temos, portanto, uma situação específica na região de Capão da Canoa que preocupa um pouco mais. Dessa forma, vamos seguir monitorando e acompanhando de perto, com a expectativa de que os números melhorem na próxima semana, mas mantendo a cautela”, afirmou o coordenador do GT Saúde, Pedro Zuanazzi, diretor do Departamento de Economia e Estatística (DEE) da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG).