Chuva afasta público da Expointer na manhã do feriado de Sete de Setembro

Pela manhã, Carta Aberta da Farsul em defesa das liberdades democráticas foi lida diante da casa da entidade

Pouco mais de mil pessoas acessaram o parque ao longo de toda a manhã. Foto: Mauro Schaefer/Correio do Povo

Apesar da chuva intensa desde o início da da manhã, o movimento dos visitantes da 44ª Expointer neste feriado de 7 de setembro começou a se intensificar a partir das 11h, mas é considerado fraco pela bilheteria. Segundo a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), até o final da manhã, ingressaram no Parque de Exposições Assis Brasil pouco mais de mil pessoas. Até às 10h, foram vendidos 4.355 ingressos para ao longo desta terça-feira.

Os guichês na entrada do parque estão auxiliando aqueles visitantes que não conseguem acessar a internet ou com celulares que têm poucos recursos. Foi o caso de Lúcia Helmy Schneider, de 77 anos, que veio de Novo Hamburgo para visitar a feira, a qual ela disse ter faltado apenas no ano passado, já que a presença de público foi proibida em razão da pandemia.

Dona Lúcia mostrou o celular para as funcionárias da bilheteria para comprovar que o aparelho não tem acesso à internet. “Mas ontem vi na televisão que podia ser comprado aqui no portão e me animei para aproveitar o dia aqui, visitar os animais e a feira de agricultura familiar”, disse a agricultora aposentada, natural de São José do Hortêncio, no Vale do Caí.

Rubia Pereira, funcionária da bilheteria, explica que a compra presencial aqui no parque está se dando justamente em casos como o de dona Lúcia. O procedimento, segundo ela, é entrar no sistema de venda on-line e auxiliar o visitante a fazer sua aquisição. “É importante lembrar que ninguém precisa deixar de vir ao parque por dificuldade de comprar o seu bilhete. Chegando aqui ajudamos a resolver”, avisa.

Com o ingresso on-line comprado durante a semana, o casal Kelli Thomaz de Carvalho e Eduardo Forneck, admitiu que a chuva desta terça-feira assustou. “Mas já tínhamos comprado os bilhetes e vamos tentar aproveitar”, diz Forneck, ao revelar que a preferência dos dois é por visitar os animais, os estandes de artesanato e a agricultura familiar.

Até o momento, são fracas as manifestações previstas para o Dia da Independência. No início da manhã, em ato público diante da Casa da Farsul, foi lida a Carta Aberta à Sociedade, onde a entidade defende as liberdades democráticas.