Nova vacina chinesa tem aval da Anvisa para ser testada no Brasil

Imunizante desenvolvido pela Clover Biopharmaceuticals e pela norte-americana Dynavax utiliza tecnologia de subunidade proteic

Foto: Ricardo Giusti / CP

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou, na última sexta-feira (16), os testes de mais uma vacina contra covid-19. O imunizante é desenvolvido pela empresa chinesa Clover Biopharmaceuticals em parceria com a norte-americana Dynavax.

Este é o sexto teste de fase 3 liberado pela agência reguladora — os outros foram da Sinovac, AstraZeneca, Pfizer, Johnson & Johnson e, mais recentemente, Medicago.

Em nota, a Anvisa afirma que a empresa vai recrutar 22 mil voluntários nesta fase final de testes, sendo 12.100 no Brasil (Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro).

A vacina utiliza a tecnologia de subunidade proteica, que pega um pedaço da proteína S do coronavírus para induzir o desenvolvimento de anticorpos.

Estudos de fase 1 já publicados na revista científica The Lancet mostraram que o imunizante teve forte capacidade de gerar resposta imunológica, além de ter um perfil de segurança adequado.

As desenvolvedoras também preveem que a vacina seja estável por um longo prazo em condições de refrigeração padrão (2°C a 8°C), embora tenha demonstrado estabilidade em temperatura ambiente por pelo menos dois meses, o que facilitaria a distribuição em locais com menos infraestrutura.

Uma vez aprovada, a vacina deve fazer parte do portfólio da iniciativa Covax Facility, da OMS (Organização Mundial da Saúde), para disponibilizar vacinas de forma equitativa a centenas de países.