Câmara convoca Weintraub para explicar cortes em universidades

Ministro deve comparecer à Comissão Geral nesta quarta-feira às 15h

Foto: Rafael Carvalho/Divulgação Casa Civil

O plenário da Câmara aprovou nesta terça-feira, por 307 votos a 82, a convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, para explicar aos parlamentares os cortes no orçamento de universidades públicas e de institutos federais em todo o País.

Por se tratar de convocação, o ministro é obrigado a comparecer à Comissão Geral, que vai ouvir as explicações de Weintraub no plenário da Câmara, a partir das 15h. Segundo o autor do pedido, deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), o ministro precisa explicar como o bloqueio vai ser executado.

“É uma oportunidade para que o povo brasileiro perceba que a Câmara dos Deputados está sensível ao clamor da sociedade, já que amanhã as ruas serão ocupadas por gente preocupada com a cultura e a educação. O ministro vai explicar o corte de 30% das universidades e institutos federais”, comentou.

Antes da votação, a líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) havia declarado que o ministro da Educação está preparado para debater e esclarecer a situação da pasta. “O ministro [da Educação] é preparado para falar sobre o assunto. A convocação não é agradável, mas é do jogo democrático”, afirmou.

Apenas PSL e Novo orientaram os parlamentares a votar contra a convocação. Para a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), a convocação é um instrumento para adiar a votação de medidas provisórias importantes para o governo federal, como a MP 870, da reforma administrativa, que definiu a estrutura de governo na gestão Bolsonaro.

O texto acabou modificado, em uma comissão mista, na semana passada. A medida que altera a estrutura ministerial perde validade em 3 de junho e precisa ser votada pela Câmara e, posteriormente, pelo Senado para que não deixe de vigorar.

“Qual é a intenção real de se convocar ministro para ir ao Plenário? Por que estão com medo de discutir as medidas provisórias? Por que insistem em tirar o Coaf do Moro? Para proibir a Receita Federal de representar?”, argumentou.

Comissão
Apesar de ter sido convocado para participar de uma Comissão Geral, a presença de Abraham Weintraub já era prevista na Câmara dos Deputados às 10h desta quarta-feira. O ministro havia sido convidado para dar explicações sobre os cortes no Orçamento da Educação na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público.