PF investiga autoria de frases racistas na UFSM

Em nota, Reitoria reforça posição de repúdio

Novas frases com conteúdo racista foram encontradas, nesta quinta-feira, no campus da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Palavras com ofensas aos negros foram escritas no banheiro feminino da Biblioteca Central Marques de Souza. A reitoria informou ter comunicado o fato à Polícia Federal (PF), que enviou agentes até o local para tentar obter provas e encontrar os autores. Também estão sendo averiguadas imagens de câmeras de segurança nas imediações do sanitário.

O delegado da PF Diogo Caneda, que comanda outras investigações de casos de racismo na instituição, vai coordenar o trabalho de apuração. Outras manifestações de cunho racista em paredes de prédios da universidade, além do desenho de uma suástica nazista no Diretório Acadêmico das Ciências Sociais, foram registradas em 2017 e 2018.

Em nota, a universidade reforça posição de repúdio à discriminação e à intolerância. “O mais recente episódio de racismo registrado nas dependências da Biblioteca Central não representa os valores defendidos pela instituição.” Segundo o comunicado, a UFSM está dando todo o suporte à Polícia Federal com o propósito de colaborar com a investigação e a identificação dos responsáveis pelo “ato lamentável”.

A reitoria esclarece, ainda, que abriu processo administrativo para apuração interna e que, uma vez identificada a autoria, os envolvidos serão responsabilizados com base na Lei 8.112/90 e no Código de Ética e Convivência Discente. O caso também está sendo acompanhado pelo Observatório de Direitos Humanos da instituição de ensino.