“Pior do que muitos partidos”, desabafa Carmen Flores ao deixar o PSL

Segundo a empresária, deputados eleitos “puxaram o tapete” dela no partido

Filiada desde março ao PSL, a ex-presidente estadual da legenda no Rio Grande do Sul, Carmen Flores, desfiliou-se, hoje, alegando incompatibilidade com deputados eleitos pela agremiação – três deles para a Câmara e quatro para a Assembleia. Segundo a empresária, “mentiras” foram plantadas contra ela. Ao considerar ter sido traída, ela frisou ter trabalhado intensamente, nas eleições, para depois ser chamada de “uma idiota”.

A briga interna pesou especialmente contra o deputado gaúcho mais votado nas últimas eleições, o Tenente-Coronel Zucco. “O Luciano Zucco era tratado como um filho, o Nereu Crispin era tratado como um irmão, mas eles simplesmente puxaram meu tapete. Eles quiseram o partido para eles porque o partido, hoje, começa a ter uma verba mensal muito grande. É dinheiro e cargo no famoso toma-lá, dá-cá. Tira a Carmem, a liderança maior do partido, e eles ficam como grandes lideres”, desabafou.

Carmen relata que parte dos deputados eleitos chegou a inventar que ela pretendia cobrar mensalidade de filiados para ficar com o dinheiro. Inconformada, a ex-presidente não poupou críticas ao PSL. “O PSL é pior do que muitos partidos. Tem partidos bem melhores, bem mais humanos”, disparou.

Nas eleições de outubro, a empresária concorreu ao Senado e ficou em quarto lugar ao somar mais de 1,5 milhão de votos, o equivalente a 14,3% – 300 mil a menos que Paulo Paim (PT), o segundo senador eleito.

“Magoada” com o desfecho do PSL, a empresária revelou, porém já ter recebido convites para entrar em, pelo menos, sete partidos, entre eles o DEM. Contudo, nenhum aceno deve ser formalizado neste momento. Ela disse considerar a possibilidade de disputar as eleições para prefeita, em 2020, sem revelar a cidade. Além disso, assegurou ser “Bolsonaro até morrer”, mas alertou que, já no dia das eleições, o presidente eleito começou a perder o comando da sigla.

Procurada, a assessoria de imprensa do futuro deputado estadual Tenente-Coronel Zucco orientou a reportagem a buscar esclarecimentos junto ao parlamentar eleito. Até o momento, ele não atendeu às ligações.