Saúde suspeita de ataque cibernético a site do Mais Médicos

Em nota, Ministério da Saúde informou que a página recebeu mais de 1 milhão de acessos simultâneos no momento da abertura do sistema

Foto: Karina Zambrana / ASCOM / MS

O Ministério da Saúde suspeita que um ataque cibernético esteja derrubando o site do programa Mais Médicos, que, desde a manhã desta quarta-feira, registra instabilidade. A pasta adverte que eventuais responsabilidades pela inserção de dados falsos no sistema poderão ser apuradas na esfera penal.

Em nota, Ministério da Saúde informou que a página recebeu mais de 1 milhão de acessos simultâneos no momento da abertura do sistema para os profissionais interessados em se inscrever para uma vaga no programa. “O volume é característico de ataques cibernéticos. Para comparação, é mais que o dobro do número de médicos em atuação no país”, salientou a nota.

Para garantir a inscrição dos interessados, o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (SUS) está isolando a aplicação dos ataques, que se mantiveram ao longo da manhã, além de adotar outras ações para estabilidade e performance do site.

Mesmo diante de momentos de instabilidade, o sistema contabilizou 3.336 inscrições nas primeiras três horas da abertura do sistema.

A expectativa do Ministério da Saúde é que o sistema se normalize. A pasta orienta os interessados a continuar tentando fazer a inscrição.

Abertas na manhã de hoje, as inscrições para o Mais Médicos podem ser feitas até o próximo domingo.

Ao todo, o programa oferece 8.517 vagas para atuação em 2.824 municípios e 34 distritos indígenas, que antes eram ocupadas por médicos contratados por meio de acordo de cooperação com Cuba.

As vagas serão preenchidas por ordem de inscrição. O início das atividades é previsto para 3 de dezembro.