Raquel Dodge defende respeito a instituições

PGR disse que caso tome a decisão de agir com relação à fala de Eduardo Bolsonaro, só vai comunicar após ter feito

Brasília - A procuradora-geral da República, Raquel Dodge concede entrevista após reunião com os ministros Raul Jungmann, Torquato Jardim e Sérgio Etchegoyen, sobre a segurança no RJ (Wilson Dias/Agência Brasil)

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu hoje que se cultive o respeito às instituições brasileiras, “que são muito fortes” e vêm trabalhando “com sobriedade e moderação para fazer valer a Constituição de 1988”.

“É muito importante que todos nós tenhamos uma atitude comprometida, com respeito às garantias individuais e às instituições brasileiras, porque não só palavras importam, atitudes também importam”, acrescentou.

A afirmação era uma resposta ao questionamento dos jornalistas sobre a declaração do deputado federal reeleito Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), em um vídeo gravado em junho e divulgado no fim de semana, de que o Supremo Tribunal Federal pode ser fechado apenas por um cabo e um soldado.

Após participar de um seminário da Escola Superior do Ministério Público da União, na capital paulista, Raquel Dodge pediu que todos continuem com o espírito de temperança e união nacional em torno de eleições justas e livres no Brasil.

A procuradora-geral disse que caso tome a decisão de agir com relação à fala de Eduardo Bolsonaro, só vai comunicar após ter feito. “Como conhecem já meu comportamento desde que tomei posse, não anuncio o que vou fazer. Normalmente comunicamos o que fizemos e é assim que permanecerei”, completou.