PP decide pela isenção na disputa do segundo turno das eleições presidenciais

PP ocupou a vaga de vice-presidente na chapa encabeçada por Geraldo Alckmin (PSDB)

Imagem: Arquivo CP

O Partido Progressista informou que não apoiará oficialmente nenhum candidato no segundo turno das eleições presidenciais. A nota foi divulgada pela legenda no final da manhã desta terça-feira.

Com Ana Amélia Lemos, o PP ocupou a vaga de vice-presidente na chapa encabeçada por Geraldo Alckmin (PSDB). A dupla acabou o primeiro turno da disputa nacional em quarto lugar, com 4,76% dos votos válidos.

Nesta terça-feira, o PSB, PSDB, Rede, DC e PPL também devem anunciar quem vão apoiar no segundo turno das eleições presidenciais.

Leia a nota do PP na íntegra:

“Amigo Progressista, Amiga Progressista,

A democracia brasileira protagonizou um momento histórico e ofereceu uma demonstração de vigor, vitalidade e plenitude no último 7 de outubro. As eleições transcorreram em todo o país num ambiente geral de normalidade e de respeito irrestrito aos ditames e ritos legais. Dezenas de milhões de brasileiros e brasileiras manifestaram soberanamente as suas preferências e a vontade popular se fez ouvir.

Nós, do Progressistas, queremos agradecer à Nação por haver abraçado e depositado em nossas propostas e programas um apoio ainda maior, o que exige de nosso partido a compreensão exata dos desafios que esta responsabilidade nos imprime.

Registramos que foram eleitos 70 deputados estaduais por nosso partido. Ainda mais significativo sobre a responsabilidade que recai sobre nossa legenda foi a eleição de 37 deputados federais, o que torna o Progressistas forte porta-voz, na Câmara dos Deputados, de um conjunto de princípios e ideias com o qual temos compromissos indeclináveis. Foram eleitos também 5 senadores Progressistas e nossa bancada atuará com seis parlamentares naquela Casa. Estamos honrados com a eleição do governador Gladson Cameli, correligionário que vai comandar o Acre nos próximos quatro anos.

Num momento em que, mais do que nunca, é exigido na vida pública clareza, transparência e coerência, reiteramos ao país os compromissos que entendemos fundamentais, premissas de quaisquer diálogos institucionais do qual venhamos a participar. São esses os nossos compromissos:

Compromisso com a Democracia: o Progressistas é defensor intransigente das conquistas democráticas e rejeita todo modo de retrocesso que possa inibir a liberdade de escolha dos governantes diretamente pelo Povo, dentro de um ambiente de total e livre manifestação do pensamento.

Compromisso com Estabilidade Econômica: o Progressistas acredita firmemente que democracias prosperam e se consolidam apenas em sociedades capazes de manter em equilíbrio suas variáveis econômicas, acima de todas elas, a inflação, sem o que as desigualdades se agudizam, esgarçando o tecido social.

Compromisso com a Estabilidade Social: o Progressistas defende a manutenção e o fortalecimento da rede de proteção social e, portanto, dos programas sociais. Acredita que se deve buscar sempre controles que garantam que os benefícios sejam carreados aos verdadeiros necessitados, mas preconiza que um país como o Brasil já alcançou um nível de desenvolvimento econômico e histórico que o habilita a decidir que não haja mais miséria dentro de suas fronteiras.

Ao mesmo tempo, se estabilidade social só pode ser alcançada dentro de uma sociedade que tenha assegurada a estabilidade econômica e conte com uma ampla rede de proteção social, propugnamos que o Brasil posicione, urgentemente, a questão da segurança pública no topo das suas prioridades. Todas as medidas de amplo espectro que coloquem a segurança dos cidadãos como um programa consistente terão apoio do Progressistas. Os brasileiros e brasileiras merecem recuperar o direito inscrito na Carta Magna que assegura a liberdade de ir e vir para todos.

Compromisso com as Garantias Fundamentais: o Progressistas se posiciona de forma incondicional em defesa das garantias e dos direitos individuais, da expressão e da liberdade de empreender.

As eleições de 2018 ocorreram num contexto histórico desafiador, após alguns anos de abalos políticos em sucessão.

No contexto das eleições presidenciais, o eleitor claramente enviou um recado ao país: quer tomar sua decisão sem que qualquer outro aspecto, que não os candidatos, sejam levados em consideração como critério de escolha. Isso significa que o eleitor quer o silêncio e o palco vazio de qualquer ruído ou informação que interfira na sua reflexão sobre qual candidato escolher.

Tendo a clara compreensão dessas circunstâncias especiais que vivem a política e o País, o Progressistas adotará uma postura de absoluta isenção e neutralidade no segundo turno das eleições presidenciais. Faz convicto de que essa é a melhor contribuição que pode oferecer ao debate, em que os cidadãos e cidadãs demonstraram querer se ater a um olhar aos projetos e às personas dos candidatos, deixando todas as demais variáveis em segundo plano.

O Progressistas estará disposto a colaborar com o futuro governo em todas as agendas coerentes e resolutivas que sejam capazes de enfrentar e encaminhar a solução para os grandes problemas que o País precisa solucionar, para o bem de seu povo e em nome do futuro de nossa Nação.

Senador Ciro Nogueira
Presidente do Progressistas”