Sarampo e Poliomielite: imunização de crianças com um ano de idade é baixa em Porto Alegre

Conforme Secretaria de Saúde da Capital imunização nessa faixa etária não atingiu 70% de cobertura

Foto: Camila Domingues / Palácio Piratini / Divulgação

A dois dias do fim da campanha de vacinação contra o Sarampo e Poliomielite, os números da cobertura vacinal para crianças de um ano de idade são baixos em Porto Alegre. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, crianças de um ano atingiram, até o momento, apenas 60% de imunização contra sarampo e 62% contra a Polio. Nas demais faixas etárias, de dois até menos de 5 anos, a cobertura chega a marca de 80%, ainda abaixo da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde.

Mesmo com a realização de dois dias “D”, a prefeitura prorrogou a campanha até a próxima sexta-feira, dia 28. As vacinas estão sendo aplicadas em 74 unidades de saúde que não atingiram 95% de cobertura do público-alvo até o momento.

A ênfase na campanha, segundo a pasta da saúde, está na interação maior junto à Secretaria Municipal de Educação (Smed) buscando as crianças nas escolas de educação infantil e fortalecendo a busca ativa dos agentes comunitários junto ao público infantil. Na rede municipal, a Smed confirmou que é obrigatória a apresentação da carteira de vacinação no ato da matrícula. Na rede estadual, não há essa obrigatoriedade. O Ministério da Educação estuda a possibilidade de tornar obrigatória, em todo o país, a cobrança de apresentação da carteira de vacinação durante a matrícula escolar.

Dados parciais da Secretaria Municipal de Saúde apontam para a seguinte cobertura vacinação em Porto Alegre:

Poliomielite

Crianças de 1 ano: 62% de imunização
Crianças de 2 anos: 82% de imunização
Crianças de 3 anos: 86% de imunização
Crianças de 4 anos: 84% de imunização

Sarampo

Crianças de 1 ano: 60% de imunização
Crianças de 2 anos: 81% de imunização
Crianças de 3 anos: 86% de imunização
Crianças de 4 anos: 84% de imunização

A meta estimada pelo Ministério da Saúde em Porto Alegre é de pelo menos 61,9 mil crianças de 1 a menos de 5 anos, que correspondem a 95% das 65.181 estimadas como população-alvo pelo ministério.