Blitz da Guaíba: como estão os terminais e paradas de ônibus na Capital

Reportagem percorreu alguns pontos na manhã de sexta-feira

Terminal está destelhado desde 2014,/ Foto: Jéssica Moraes./ Rádio Guaíba.

Na manhã de sexta-feira, a equipe da Rádio Guaíba realizou “blitze” em alguns terminais e paradas de ônibus de Porto Alegre. A reportagem foi veiculada durante o programa Direto ao Ponto, entre 9h e 11h.

O Terminal Triângulo, na Avenida Assis Brasil, na zona Norte da Capital, é um dos principais alvos de reclamação da população. Destelhado desde um temporal em dezembro de 2014, segue sem uma cobertura. Quem precisa pegar ônibus no local tem que lidar com a chuva e sol forte.

Além da ausência do telhado, a sujeira e insegurança nos túneis de acesso à plataforma são uma constante. Não há placas de sinalização ou de orientação nas saídas e mapa para quem deseja utilizar o transporte público. Os elevadores estão desativados, dificultando a acessibilidade.

Uma das únicas placas em relação aos ônibus./ Elevador estragado./ Foto: Jéssica Moraes./ Rádio Guaíba.

Confira o relato de algumas pessoas que precisam pegar ônibus no local: 

 

A reportagem também verificou a situação das paradas de ônibus da Terceira Perimetral. Mapeamento percorreu as 25 estações e concluiu que todas apresentam algum tipo de problema estrutural:

A Estação Anita Garibaldi (sentido Sul/Norte) não possui nenhuma estrutura para abrigar usuários do transporte público.

A Estação Carvalho de Freitas (sentido Norte/Sul) também apresenta problemas na cobertura. Já na Estação Oscar Pereira, há moradores em situação de rua instalados no terminal. A estrutura está danificada e, conforme usuários, a iluminação é precária nesse ponto.

Estação Carvalho de Freitas e Estação Oscar Pereira./ Imagem: Guilherme Kepler./ Rádio Guaíba.

Confira o relato de usuários da parada da Estação Anita Garibaldi: 

 

O Viaduto Jorge Alberto Mendes Ribeiro, localizado no cruzamento da Avenida Carlos Gomes com a Avenida Protásio Alves, apresenta graves problemas estruturais. Na segunda-feira, dia 10, após duas semanas sem iluminação pública, o serviço foi retomado.

Após o relato nas redes sociais, o secretário municipal de Serviços Urbanos, Ramiro Rosário, informou que a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) havia feito a manutenção do local e, às 21h20, a energia foi restabelecida.

O viaduto possui quatro túneis de passagem para pedestres. Os espaços são sujos, pichados e escuros. A população relata insegurança no local. Além disso, nenhuma escada rolante ou elevador funcionam.

Elevadores não funcionam./ Foto: Jéssica Moraes./ Rádio Guaíba.
Escadas rolantes também apresentam problemas./ Foto: Jéssica Moraes./ Rádio Guaíba.

Na quarta-feira, a produção da rádio entrou em contato com as equipes de Assessoria de Comunicação da EPTC e da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (SMIM) por telefone, relatando que gostaríamos de entrevistar os responsáveis sobre os terminais e paradas. A pauta foi encaminhada por e-mail para a SMIM, que nos respondeu em cópia com a assessoria da EPTC.

“A Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim) informa que tem conhecimento da situação dos terminais da cidade Porto Alegre e tem estudado alternativas para avançar nas demandas, apesar das dificuldades financeiras enfrentadas pela prefeitura, especialmente no que diz respeito à manutenção estrutural dos terminais (pavimento, iluminação, estrutura, escada rolante e elevadores).”

A produção tentou, ainda, uma entrevista para sexta-feira, quando a “blitz” aconteceria. Mas a solicitação foi negada novamente. Com o programa Direto ao Ponto no ar, o coordenador de Comunicação da Prefeitura, Orestes de Andrade Jr, entrou em contato com os apresentadores e informou que o diretor-presidente da EPTC, Marcelo Soletti, estava à disposição para uma entrevista. A produção tentou contato com Soletti até o final do programa, mas não foi atendida.

Soletti concedeu entrevista no mesmo dia, à tarde, no programa Guaíba News. Confira a entrevista: