Aos 90 anos, ex-governador Collares é alçado como nome do PDT para o Senado

Idade avançada não é impeditivo, considera Enio Bacci. Já o ex-governador refuta a ideia

Foto: CP Memória

Uma ala do PDT gaúcho externou, nesta quinta-feira, a intenção de lançar o ex-governador gaúcho Alceu Collares como pré-candidato da legenda ao Senado. O retorno de Collares à vida pública é defendido pelo deputado estadual Enio Bacci (PDT). Na próxima terça-feira, o parlamentar se reúne com Collares para formalizar o convite.

“Collares tem a imagem do trabalhismo. Ele carrega a história do PDT e do ‘brizolismo’. A candidatura dele ao Senado vai colocar na chapa do Jairo Jorge um pouco de sangue puro, aquele sangue que o Brizola tinha e que só o Collares tem agora. Ele está bem de saúde e certamente será bom para o Estado”, salienta Bacci.

Em setembro, Collares completa 91 anos. Para Enio Bacci, a renovação política é necessária, mas não com base na idade, e sim na honestidade. “Eu não vejo impeditivo (da idade) até porque o Senado precisa de sabedoria, conhecimento e experiência. Eu acho sinceramente que a idade é como um vinho, melhora para quem não precisa de força física e no Senado não se precisa mais do que conhecimento e Collares conhece essa realidade”, considera.

Debilitado em função do tratamento de um câncer, o ex-governador rechaçou a ideia. “Eu estou doente e não tenho possibilidade. Estou com 90 anos e não sou candidato a nada”, disse.

No pleito de outubro, o eleitorado gaúcho vai eleger dois senadores. Collares concorreu pela última vez em 2006, quando disputou o governo estadual e ficou em quinto lugar, somando 3% dos votos. Sem cargo público, ele chegou a atuar no Conselho de Administração da Itaipu Binacional, na última gestão Dilma Rousseff, mas já deixou o cargo.

Até o momento, o PDT definiu apenas o nome do pré-candidato ao Palácio Piratini: Jairo Jorge. Em função do sucesso obtido no Grêmio, o mandatário tricolor Romildo Bolzan Junior chegou a ser considerado nome de concesso dentro do partido para disputar o Senado, porém negou. O presidente do Grêmio é ex-presidente do PDT.

Natural de Bagé, Collares governou o Rio Grande do Sul entre 1991 e 1995. Ele também foi deputado federal por cinco mandatos e prefeito de Porto Alegre de 1986 a 1989.

Caso referende a pré-candidatura de Collares, o PDT “embola” ainda mais a disputa pelo Senado: Ana Amélia Lemos (PP) e Paulo Paim (PT) vão disputar a reeleição. Devem concorrer, ainda, o também ex-governador Germano Rigotto (MDB), o ex-deputado federal Beto Albuquerque e o ex-prefeito de Porto Alegre José Fortunati, ambos do PSB.