BNDES recebe 781 contratos de empresas gaúchas no primeiro dia de acesso ao crédito

Estudo da Fiergs aponta que 47 mil do total de 51 mil indústrias do estado foram afetadas

Crédito: Mauricio Tonetto/Secom

Desde esta quarta-feira, 10 de julho, as instituições financeiras que são parceiras do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) já podem fazer as primeiras contratações de crédito com pessoas jurídicas de direito privado de todos os portes (inclusive cooperativas), produtores rurais, transportadores autônomos de carga e empresários individuais do Rio Grande do Sul. Somente no primeiro dia, foram realizados 781 contratos, totalizando o valor de R$ 1,5 bilhão.

Podem ter acesso às linhas de crédito no valor total de R$ 15 bilhões aqueles com negócios em áreas efetivamente atingidas pelos eventos climáticos extremos e que tenham sofrido perdas materiais, conforme delimitação georreferenciada realizada pela Empresa de Tecnologia e Informação da Previdência (Dataprev S.A.), como indica a Portaria do Ministério da Fazenda nº 1.098, de 4 de julho de 2024.

“O Governo Federal segue trabalhando forte na recuperação econômica do Rio Grande do Sul. Nosso foco é recuperar empregos, salários e trabalhar o recomeço da população gaúcha”, destaca o ministro para Apoio à Reconstrução do RS”, Paulo Pimenta.

O BNDES Emergencial para o Rio Grande do Sul tem como objetivo viabilizar a manutenção da capacidade produtiva, o emprego e a renda para empreendimentos afetados pelos extremos climáticos. São três linhas de financiamento: Máquinas e Equipamentos, para financiamento à aquisição de máquinas e equipamentos para recompor a capacidade produtiva; Investimento e Reconstrução, para financiamento a projetos de investimento, como construção ou reforma de fábricas, galpões, armazéns, estabelecimentos comerciais, etc e Capital de Giro, para apoio financeiro para necessidades imediatas, como pagamento da folha e de fornecedores, recomposição de estoques e demais gastos para a manutenção e retomada das atividades.