test

Vendas no Varejo ficam estáveis (0,0%) em maio, indica Cielo

Empresa indica que no Rio Grande do Sul houve crescimento de 4,7%

Crédito: Alexandre Barros/Divulgação

O faturamento do Varejo em maio ficou estável (0,0%), descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês de 2023. Os dados foram divulgados no Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista e embutem a inflação, houve alta de 4,0%. No Rio Grande do Sul houve crescimento de 4,7%, descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Em termos nominais, a alta foi de 8,6%.

“Apesar das enchentes que assolaram o estado durante o mês, o faturamento do Varejo subiu, impulsionado principalmente pela compra de produtos essenciais encontrados em supermercados, postos de gasolina e farmácias”, afirma Carlos Alves, vice-presidente de Tecnologia e Negócios da Cielo. “Houve crescimento também no setor de Móveis, Eletro e Departamento, possivelmente provocado pelas perdas de itens desta categoria nas enchentes”.

O executivo lembra que o governo federal divulgou medidas de auxílio financeiro para a população do estado, como saque antecipado do FGTS, antecipação do Bolsa Família, restituição do imposto de renda e liberação de duas parcelas antecipadas do seguro-desemprego. “Essas medidas podem ter contribuído para o crescimento do comércio no estado ao longo do mês de maio”, diz.

NACIONAL

Ao descontar a inflação, o macrossetor de Bens Não Duráveis apresentou alta nas vendas (+2,5%) no país, com destaque para os segmentos de Supermercados e Hipermercados; Cosméticos; e Varejo Alimentício Especializado.

Já os macrossetores de Serviços e Bens Duráveis e Semiduráveis registraram quedas de 5,1% e 1,7%, respectivamente. O resultado negativo de Serviços foi influenciado principalmente por Turismo e Transporte; enquanto Bens Duráveis se ressentiram da retração em Vestuário e Artigos Esportivos.

“O Dia das Mães representou um alento para o Varejo no mês de maio. Setores presenteáveis, como Óticas e Joalherias, tiveram desempenho acima da média. O segmento de Móveis, Eletro e Departamento seguiu na mesma direção e ajudou o comércio de maneira geral a não registrar variação negativa”, afirma Alves.

Em termos nominais, ou seja, que refletem a receita observada pelo varejista, o e-commerce cresceu 5,8% em maio no país. Já as vendas presenciais cresceram 3,6% em relação ao mesmo mês de 2023.

REGIÕES

De acordo com o ICVA deflacionado e com ajuste de calendário, os resultados de cada região em relação a maio de 2023 foram: Sul (3,2%), Nordeste (0,8%), Centro-Oeste (0,4%), Sudeste (0,4%) e Norte (-0,1%).

Pelo ICVA nominal – que não considera o desconto da inflação – e com ajuste de calendário, os resultados foram: Sul (7,1%), Nordeste (5,6%), Sudeste (5,2%) Norte (4,3%) e Centro Oeste (3,5%).

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Sair da versão mobile