test

Fluxo em estradas pedagiadas no país recua 0,6% em maio

Indicador aponta influências negativas da queda do tráfego nas praças localizadas no RS

Foto: Fabiano do Amaral/CP/Arquivo

O Índice ABCR referente a maio de 2024 recuou 0,6% no comparativo com abril, considerando a série livre de efeitos sazonais. O índice que mede o fluxo pedagiado de veículos nas estradas é construído pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) juntamente com a Tendências Consultoria. O índice de fluxo pedagiado de veículos pesados caiu 5,0%, variação bem acima da modesta alta de 0,3% de veículos leves.

Comparado ao mesmo período de 2023, o índice total avançou 2,6%, devido ao crescimento de 3,3% de leves e de 0,4% de veículos pesados. Nos últimos 12 meses, o índice total acumula crescimento de 4,9%.

“O fluxo de pesados mostrou a maior queda desde abril de 2020 na série livre de efeitos sazonais. O resultado é reflexo da normalização do efeito positivo atípico gerado pelo calendário no mês passado, que contou com maior quantidade de dias úteis, favorecendo a demanda de tráfego para atividades econômicas e logísticas. Adicionalmente, em menor medida, os dados mostraram limitações advindas do baixo fluxo de veículos pesados nas praças situadas no Rio Grande do Sul, o que está associado ao desastre climático que impacta negativamente o estado desde meados do mês passado”, ressaltam os analistas da Tendências Consultoria, Thiago Xavier e Davi Gonçalves.

“Em sentido contrário, o fluxo de leves registrou moderada alta em maio. Assim como observado em pesados, houve influências negativas da queda do tráfego nas praças localizadas no Rio Grande do Sul, ainda que fatores econômicos e o desempenho de outras regiões tenham contrabalanceado. Do ponto de vista econômico, os resultados sugerem acomodação do índice, levando em conta pressões distintas. De um lado, há incentivos gerados pelo aquecimento do mercado de trabalho e pelas condições financeiras relativamente mais favoráveis. De outro, há incertezas mais elevadas do ambiente doméstico no cenário político e econômico. Além disso, o indicador permanece em níveis historicamente aquecidos, atualmente no maior patamar da série iniciada em 1999”, acrescentam.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Sair da versão mobile