test

Leite pede R$ 1 bilhão para o turismo gaúcho

Recursos são destinados à recuperação e reconstrução do setor, com juros equalizados

Crédito: Divulgação/Giordani Turismo

O governador Eduardo Leite pediu ampliação de recursos do Fundo Geral de Turismo (Fungetur) para até R$ 1 bilhão, destinado à recuperação e reconstrução de empreendimentos públicos e privados, com juros equalizados. A solicitação foi feita em reunião on-line nesta quarta-feira, 22, entre o governador Eduardo Leite, o ministro do Turismo, Celso Sabino, e deputados gaúchos. O objetivo do encontro – que também teve a presença do secretário estadual de Turismo em exercício, Luiz Fernando Rodriguez Júnior – foi articular medidas em apoio ao setor, que já vem sofrendo com a redução do número de turistas.

Durante a reunião, Leite pediu o credenciamento de novos agentes para operação do Fungetur, sob risco de ocorrer represamento de recursos por impossibilidade de atendimento das instituições financeiras atualmente credenciadas. Além disso, reivindicou a disponibilização de um fundo de aval especial para as operações de crédito do RS para permitir dispensa de recursos líquidos computáveis para os empresários e a inclusão de empresas que, comprovadamente, façam parte do arranjo produtivo do turismo no público-alvo do FUNGETUR, como comércio, serviços relacionados, indústria e agroindústria, pois também são fundamentais (possibilitar registro ágil no CADASTUR).

PEDIDOS

No documento enviado ao ministério, entre outras medidas, o governador do Rio Grande do Sul pediu a disponibilização de linhas para financiamento de investimentos com a possibilidade de giro associado; e linhas para financiamento exclusivo de capital de giro com prazo de 10 anos e carência para pagamento e juros equalizados, similar ao crédito rural, com quitação apenas do principal pelo tomador do financiamento e a quitação dos juros por recursos públicos (fundo), quando o principal for adimplido tempestivamente;

O governador explicou que as prioridades no momento são preservar empregos e renda, por meio de programas como o Benefício Emergencial, e promover a recuperação emergencial da capacidade rodoviária e aeroviária do Estado. “Estamos trabalhando intensamente para desbloquear as rodovias que ainda estão danificadas pela chuva e por deslizamentos, além de garantir que o Rio Grande do Sul tenha a Base Aérea de Canoas e o Aeroporto de Caxias do Sul em condições de receber o maior número possível de voos e de passageiros”, afirmou Leite.

O ministro Sabino engrossou o apelo do governo aos turistas no sentido de que não cancelem as viagens ao Rio Grande do Sul, que apenas adiem. Destacou, ainda, a liberação de R$ 100 milhões do Fundo Geral de Turismo (Fungetur) direcionada para a reconstrução da infraestrutura turística.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Sair da versão mobile