test

Pesquisa mostra que pessimismo cresce e confiança cai entre empresários, diz Fiergs

ICEI-RS baixa para 50,5 pontos em abril

Indústria. Foto: Agência Brasil / CP Memória

O Índice de Confiança do Empresário Industrial gaúcho (ICEI-RS), divulgado nesta quinta-feira, 18, pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), caiu de 51,6 pontos, em março, para 50,5, em abril. Resultado próximo da marca dos 50 que limita a presença da ausência de confiança e que, este mês, mostra-se muito baixa. O índice da pesquisa varia de zero a cem pontos.

Composto pelos Índices de Condições Atuais e de Expectativas – ambos considerando a economia brasileira e a própria empresa –, o ICEI-RS, com a redução e o baixo nível do otimismo atingidos em abril, reflete principalmente a piora nas avaliações já negativas dos empresários em relação à economia brasileira. O Índice de Condições Atuais recuou de 45,7, em março, para 45,2, em abril. Revela que os empresários continuam a perceber deterioração nas condições atuais de seus negócios.

A percepção negativa é particularmente intensa com as condições da economia brasileira, que recuou de 41,2 para 39,4 pontos no período. Em abril, 41% dos empresários gaúchos indicam piora na economia. Somente 5,5% percebem melhora, e o restante não vê alteração no cenário.

O Índice de Condições Atuais das Empresas variou de 48 para 48,1 pontos, e denota piora. Já o Índice de Expectativa, em abril, recuou 1,4 ponto em relação a março, para 53,2. Acima de 50, ainda revela otimismo dos empresários com os próximos seis meses, mas menor e menos disseminado do que em março. A perspectiva positiva, porém, se restringe ao futuro da própria empresa, cujo Índice de Expectativas registrou 57,7 pontos este mês (contra 58,1 de março). É o componente que mantém a confiança da indústria gaúcha.

PESSIMISMO

Já o pessimismo com a economia brasileira cresceu a 32,2% dos empresários (eram 25,5%, em março). O percentual de otimistas diminuiu de 18% para 13,7%. Com isso, o Índice de Expectativas da Economia Brasileira recuou de 47,6, no mês passado, para 44,2 pontos, em abril. Com 3,4 pontos a menos, foi a maior queda entre os componentes da confiança no mês.

O fator que diminui e coloca a confiança do industrial gaúcho em patamar praticamente nulo em abril, é a persistência do cenário de incerteza por conta das indefinições no campo fiscal, como o cumprimento das metas do Novo Arcabouço Fiscal, além da Reforma Tributária. Ao se prolongar, esse quadro deteriora a percepção dos empresários com relação à economia. No âmbito estadual, a questão dos Incentivos fiscais de ICMS também é motivo de preocupação para os empresários gaúchos.

Segundo a FIERGS, a queda geral dos índices em abril, sobretudo os de expectativas, refletem a perspectiva de baixo dinamismo para a atividade do setor nos próximos meses, especialmente para investimentos que, diante de muita incerteza, tendem a ser postergados.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Sair da versão mobile