Greve dos servidores do BC marcada para começar nesta terça

Nesta terça-feira, 20, termina o prazo para inscrição em concurso para a instiutuição

Foto: Marcelo Casal/Agência Brasil

Em operação padrão desde dezembro de 2023, os servidores do Banco Central (BC) paralisarão as atividades a partir desta terça-feira, 20 e quarta-feira, 21. Em assembleia realizada no último dia 9, a categoria rejeitou a proposta do governo de conceder reajuste de 13%, parcelado para 2025 e 2026.Os servidores pedem um reajuste de 36% e reestruturação da carreira. O grupo ainda pede a exigência de nível superior para o cargo de técnico, a mudança de nome do cargo de analista para auditor e a criação de uma “retribuição por produtividade institucional”, semelhante à existente para os auditores-fiscais da Receita Federal.

No ano passado, a categoria chegou a parar por 90 dias por reajuste salarial e reestruturação da carreira, sem qualquer resultado junto ao governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Neste ano, a regulamentação da lei sobre bônus de produtividade dos auditores fiscais da Receita Federal em junho elevou a insatisfação dos funcionários do BC, que contam com apoio público não apenas do presidente Campos Neto, como dos demais diretores da instituição.

CONCURSO

Em janeiro, o Banco Central divulgou edital para concurso público com a oferta de 100 vagas, com salários iniciais de R$ 20,9 mil, mais auxílio-alimentação e direito à assistência médica, que tem custos divididos igualmente entre os servidores e o Banco Central. As oportunidades são para profissionais graduados em diversas áreas de conhecimento e com inscrições terminando nesta terça-feira, 20, com pagamento de taxa no valor de R$ 160. É o primeiro concurso do BC com cotas para negros.

As oportunidades são para analistas na seleção, distribuídas para analista na área de tecnologia da informação (infraestrutura, rede e desenvolvimento) – 50 vagas, e o mesmo número para analista na área de economia e finanças. O diretor de administração do Banco Central (BC), Rodrigo Alves Teixeira, afirmou  que o atual governo tem uma visão de que é necessário recompor os quadros no serviço público que se aposentaram nos últimos anos. Segundo ele, cerca de 300 servidores da autarquia atualmente estão em condição de se aposentar.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Sair da versão mobile