Ação da PF sobre tentativa de golpe identificou seis núcleos de atuação; veja os integrantes

A Polícia Federal (PF) apontou em relatório que a investigação sobre a tentativa de golpe está relacionada com a atuação de uma suposta organização criminosa com cinco eixos de atuação e seis núcleos, segundo informações publicadas no site R7. O documento relata a forma de atividade de cada um dos segmentos e seus integrantes. Nesta quinta-feira (8), o órgão realizou uma operação contra o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e diversos aliados.

Os cinco eixos são: ataques virtuais a opositores; ataques às instituições, ao sistema eletrônico de votação e à higidez do processo eleitoral; tentativa de Golpe de Estado e de Abolição violenta do Estado Democrático de Direito; ataques às vacinas contra a Covid-19 e às medidas sanitárias na pandemia e uso da estrutura do Estado para obtenção de vantagens.

O último item, da estrutura do Estado, se subdivide em: uso de suprimentos de fundos (cartões corporativos) para pagamento de despesas pessoais; inserção de dados falsos de vacinação contra a Covid-19 nos sistemas do Ministério da Saúde para falsificação de cartões de vacina; desvio de bens de alto valor patrimonial entregues por autoridades estrangeiras ao ex-presidente da República ou agentes públicos a seu serviço, e posterior ocultação com o fim de enriquecimento ilícito.

Núcleo 1: fake news

De acordo com o relatório da PF, o núcleo 1, de desinformação e ataques ao sistema, tinha como forma de atuação a produção, divulgação e amplificação de notícias falsas quanto a lisura das eleições presidenciais de 2022 com a finalidade de estimular seguidores a permanecerem na frente de quartéis e instalações, das Forças Armadas, no intuito de criar o ambiente propício para o Golpe de Estado. Os integrantes desse núcleo são: Mauro Cesar Barbosa Cid, Anderson Torres, Angelo Martins Denicoli, Fernando Cerimedo, Eder Lindsay Magalhães Balbino, Hélio Ferreira Lima, Guilherme Marques Almeida, Sergio Ricardo Cavaliere de Medeiros e Tércio Arnaud Tomaz.

Núcleo 2: ataques a militares

O núcleo 2, responsável por incitar militares ao golpe, tem como forma de atuação a eleição de alvos para amplificação de ataques pessoais contra militares em posição de comando que resistiam às investigadas golpistas, segundo a PF. Os ataques eram realizados a partir da difusão em múltiplos canais e através de influenciadores em posição de autoridade perante a “audiência” militar. Os integrantes desse núcleo são: Walter Souza Braga Netto, Paulo Renato de Oliveira Figueiredo Filho, Ailton Gonçalves Moraes Barros, Bernardo Romão Correa Neto e Mauro Cesar Barbosa Cid.

Núcleo 3: elaboração de minutas

O núcleo 3, jurídico, tem como forma de atuação o assessoramento e elaboração de minutas de decretos com fundamentação jurídica e doutrinária que atendessem aos interesses golpistas do grupo investigado, de acordo com o órgão. Os integrantes desse núcleo são: Filipe Garcia Martins Ferreira, Anderson Gustavo Torres, Amauri Feres Saad, José Eduardo de Oliveira Silva e Mauro Cesar Barbosa Cid.

Núcleo 4: manutenção das manifestações

O núcleo 4, de operação de apoio às ações golpistas, tem como forma de atuação, a partir da coordenação e interlocução com o então ajudante de ordens de Bolsonaro Mauro Cesar Cid, a atuação em reuniões de planejamento e execução de medidas no sentido de manter as manifestações em frente aos quartéis militares, incluindo a mobilização, logística e financiamento de militares das forças especiais em Brasília. Os integrantes desse núcleo são: Sergio Ricardo Cavaliere de Medeiros, Bernardo Romão Correa Neto, Hélio Ferreira Lima, Rafael Martins de Oliviera, Alex de Araújo Rodrigues e Cleverson Ney Magalhães.

Núcleo 5: inteligência paralela

O núcleo 5, de inteligência paralela, tem como forma de atuação a coleta de dados e informações que pudessem auxiliar a tomada de decisões do então presidente na consumação do Golpe de Estado. “Monitoramento do itinerário, deslocamento e localização do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes e de possíveis outras autoridades da República com objetivo de captura e detenção quando da assinatura do decreto de Golpe de Estado”, diz a PF. Os integrantes desse núcleo são: Augusto Heleno Ribeiro Pereira, Marcelo Costa Camara e Mauro Cesar Barbosa Cid.

Núcleo 6: influência de oficiais

O núcleo 6, por sua vez, trata de oficiais de alta patente com influência e apoio aos demais grupos e tem como forma de atuação a utilização do cargo que detinha para influenciar e incitar apoio aos demais núcleos de atuação por meio do endosso de ações e medidas a serem adotadas para consumação do Golpe de Estado, ainda segundo a corporação. Os integrantes desse núcleo são: Walter Souza Braga Netto, Almir Garnier Santos, Mario Fernandes, Estevam Theophilo Gaspar de Oliveira, Laércio Vergílio e Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira.

A reportagem busca contato com os citados. O espaço está aberto para manifestação.

 

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Sair da versão mobile