Em reunião da Frente Nacional de Prefeitos, Melo cita que áreas de risco precisam ser prioridade em programas habitacionais federais

Porto Alegre tem mapeadas 142 áreas de risco, onde moram cerca de 20 mil famílias, superando 80 mil pessoas

Foto: Mateus Raugust/PMPA

O prefeito Sebastião Melo, junto de outros gestores municipais, debateu com deputados federais e representantes da União sobre os desafios habitacionais na programação de encerramento da 85ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos (FNP). Porto Alegre tem mapeadas 142 áreas de risco, onde moram cerca de 20 mil famílias, superando 80 mil pessoas.

Melo reforçou que esses locais precisam ser prioridade nacional. “Quando os entes federados trabalham juntos, temos chances de soluções; se trabalham apartados, não temos chance alguma. E a situação das moradias nas áreas de risco precisa ser prioridade nacional, precisa ser a ‘prioridade da prioridade’ no Minha Casa Minha Vida”, ressaltou.

O ministro das Cidades, Jader Filho, afirmou que o governo federal pretende destinar 10 mil unidades para áreas de risco, que levarão em conta regiões de maior gravidade. Diante da defesa do prefeito para atuação conjunta, Jader Filho convidou Melo para aprofundar o diálogo sobre soluções habitacionais como Minha Casa Minha Vida e Compra Compartilhada.

O programa Compra Compartilhada, lançado em agosto pela prefeitura, oferece subsídio de R$ 15 mil na aquisição de imóveis para famílias que se encaixem nos padrões dos programas de habitação de interesse social. No âmbito do Minha Casa Minha Vida, nove áreas de Porto Alegre foram selecionadas. Ao todo, serão construídas 1.212 unidades habitacionais na cidade.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Sair da versão mobile