test

Preço da alface, do tomate e do ovo impactam a inflação na Região Metropolitana, diz IBGE

No ano, o IPCA-15 da região acumula alta de 2,75% e, em 12 meses, de 3,87%

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) na Região Metropolitana de Porto Alegre revelou recuos importantes nos gastos dos gaúchos. O indicador fechou chegou a 0,73% em abril, 0,40 ponto percentual abaixo da taxa de março (1,13%), mas acima do percentual nacional que foi de 0,57%. No ano, o IPCA-15 da Região Metropolitana acumula alta de 2,75% e, em 12 meses, de 3,87%. Em abril de 2022, a taxa foi de 1,88%.

Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O item Transporte, assim como no país, teve a maior variação (1,90%) e o maior impacto (0,39 ponto percentual) graças ao aumento dos preços da gasolina (3,52%). Para o resultado de Alimentação e bebidas (0,82%), a maior contribuição veio da alimentação no domicílio (0,81%) a partir de altas em preços da alface (17,93%), tomate (14,76%), ovo de galinha (6,15%) e frutas como morango (17,05%) e o mamão (6,53%). No lado das quedas, os destaques foram a maçã (-7,65%) e a batata-inglesa (-4,16%). Na alimentação fora do domicílio, o lanche acelerou de 0,41% para 2,02% no período

No grupo Habitação (-0,20%), o destaque foi a energia elétrica residencial, que teve queda de 1,36% em abril, após alta de 10,76% no mês anterior. O resultado do grupo também foi influenciado pela redução no condomínio (-0,53%) e no aluguel residencial (-0,49%). Os preços do gás de botijão, por sua vez, subiram 3,19%.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Sair da versão mobile