test

Presidente da FIERGS lidera missões da CNI ao Cazaquistão e à Alemanha

Petry participa de agenda de negócios com industriais no país asiático e na Feira de Hannover

Crédito: Divulgação/Sebrae/ RS

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) e vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Gilberto Porcello Petry, lidera a partir da próxima semana duas missões empresariais prospectivas ao exterior representando a CNI. A primeira será ao Cazaquistão, país da Ásia Central cuja agenda (que começa em 11 de abril) prevê, entre outros eventos, o 2º Encontro do Comitê Bilateral Brasil-Cazaquistão, em 13 de abril. Na sequência da viagem, a partir do dia 17, Petry se junta a uma comitiva nacional na Alemanha na Feira de Hannover, o mais importante evento internacional de tecnologia para a indústria.

O objetivo do 2º Encontro do Comitê Bilateral Brasil-Cazaquistão é explorar possíveis áreas de cooperação, tendo em conta o potencial existente, com base em propostas de associações empresariais e empresas, além de alinhar a realização da terceira reunião no Brasil, no próximo ano. O evento contará com a presença, entre outras autoridades e lideranças industriais, do embaixador do Brasil naquele país, Rubem Antonio Correa Barbosa; e de Berik Bekenov, presidente do Conselho da Kazakhstan Industry and Export Centre – QazIndustry, que é o Centro de Exportação e Indústria Cazaque.

A missão prospectiva e exploratória liderada pelo presidente da FIERGS contempla também oportunidades para a indústria do Rio Grande do Sul na relação comercial com o Cazaquistão, país de 21 milhões de habitantes e com um PIB de US$ 197 bilhões (dados de 2021). Os principais setores a serem negociados são fertilizantes, biocombustíveis, cutelaria, máquinas e equipamentos, entre outros. “No Cazaquistão, há muitas áreas de interesse para o Rio Grande do Sul, o comércio entre o Estado e aquele País ainda é pequeno e só tende a crescer, com ganhos para a indústria gaúcha”, afirma Petry.

No ano passado, o Brasil exportou US$ 27,3 milhões para o Cazaquistão, tendo como principais produtos pulverizadores agrícolas, pneumáticos de borracha e medicamentos. Ao mesmo tempo, importou US$ 163 milhões, concentrando-se em enxofre, P-xileno e urânio. Dessa forma, a corrente de comércio no último ano totalizou US$ 190,3 milhões entre os dois países, com um saldo negativo de US$ 135,8 milhões para o Brasil.

Já em relação ao Rio Grande do Sul, as vendas externas no mesmo período significaram U$ 3 milhões, com destaque para pulverizadores para agricultura e serras de corrente. As importações gaúchas, por sua vez, tiveram apenas um produto: naftas para petroquímica, com um total de US$ 967 mil. Assim, a corrente com o estado foi de US$ 4 milhões e o saldo positivo para o RS de US$ 2,1 milhões.

HANNOVER

Na Feira Industrial de Hannover, entre 17 e 21 de abril, Gilberto Porcello Petry também lidera a missão prospectiva e representa o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade. Na programação, haverá rodadas de negócios entre empresários brasileiros e internacionais, circuito guiado pela feira e visitas técnicas em indústrias destaque da região. “Hannover é a principal feira global da indústria, na qual grandes empresas mundiais apresentam soluções e tendências para o setor produtivo em alta tecnologia e inovação. Para se manter atualizado, o empresário brasileiro precisa conhecer o que a feira apresenta”, destaca Petry.

Os principais temas desta edição são soluções para conectividade, energia, baixo carbono e Indústria 4.0. “Será a oportunidade de mostrar ao mundo a indústria brasileira ainda mais competitiva globalmente, baseada na transição para uma economia de baixo carbono e eficiente na utilização de recursos”, diz o presidente da FIERGS. A participação brasileira em Hannover reforçará a transição energética, descarbonização e bioeconomia.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Sair da versão mobile