PSol rejeita abrir mão da pré-candidatura de Pedro Ruas ao Palácio Piratini

Sobre aliança com o PT, partido oferece a vaga de vice

Pedro Ruas | Foto: Divulgação / CMPA

Faltando duas semanas para o início das convenções, o PSol rejeitou a possibilidade de abrir mão da pré-candidatura ao Piratini a fim de apoiar o nome do PT na disputa. O tema pautou uma reunião, na noite desta segunda-feira, da executiva estadual da legenda. Apesar de alas minoritárias do partido defenderem a unificação das pré-candidaturas dos dois partidos, a executiva aprovou por maioria a continuidade da indicação do nome do vereador para a disputa ao governo gaúcho.

A presidente estadual do PSol, Luciana Genro, acrescentou que a legenda vai fazer uma contraproposta ao PT, na qual Ruas fica na cabeça de chapa, segue mantida a candidatura de Roberto Robaina ao Senado, e a vaga de vice fica com a federação (PT, PCdoB e PV). Já o PT apresentou o nome de Edegar Pretto como pré-candidato ao Palácio Piratini.

Os dirigentes entendem ainda que o PT e demais partidos da federação demoraram a procurar, de forma oficial, o PSol para tratar do tema. Além disso, entendem que o nome de Ruas é mais bem aceito que o de Edegar Pretto em campos que não compõem a esquerda.

Nos bastidores havia a expectativa de união entre as siglas, repetindo o cenário nacional. Mais cedo, o vereador Matheus Gomes (PSol) defendeu a parceria. “O PSol tem um acúmulo estratégico na capital, como o partido mais votado do Legislativo e muita força nos movimentos sociais. Cabe a humildade de reconhecer que estamos num estágio diferente no interior. O RS é populoso e isso fará diferença nessa eleição acirrada”, destacou Gomes, que é pré-candidato à Assembleia.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Sair da versão mobile