Caso Ronei Jr: concluído interrogatório dos primeiros três réus pelo homicídio

Leonardo Macedo Cunha, Peterson Patric Silveira Oliveira e Vinicius Adonai Carvalho da Silva foram ouvidos na tarde desta quinta-feira

Réus foram interrogados nesta tarde. Foto: Juliano Verardi/TJRS

Após a conclusão dos depoimentos das testemunhas de acusação, no fim da manhã desta quinta-feira, os réus do caso Ronei Júnior foram os interrogados, no Salão do Júri do Foro da Comarca de Charqueadas, na tarde desta quinta-feira. Leonardo Macedo Cunha, Peterson Patric Silveira Oliveira e Vinicius Adonai Carvalho da Silva respondem pelos crimes de associação criminosa e corrupção de menores, pelo homicídio qualificado de Ronei Faleiro Júnior, de 17 anos, e de três tentativas de homicídio qualificado contra Richard Saraiva de Almeida e Francielle Wienke, amigos da vítima, e do pai do adolescente, Ronei Faleiro.

Os crimes ocorreram na saída de uma festa em 1º de agosto de 2015 no município da região Carbonífera. A Polícia aponta que o fato de Richard, morador de São Jerônimo, ter se envolvido com Francielle, que é de Charqueadas, motivou as agressões. As investigações também apuraram que os acusados faziam parte de um grupo conhecido como ‘Bonde da Aba Reta’, que até então cometia crimes de menor gravidade no município.

Primeiro dos três réus a falar, Leonardo Macedo Cunha contou que já havia saído da festa no momento do tumulto e que decidiu se envolver na briga após ver o pai de Ronei Júnior seguir, com uma garrafa na mão, em direção ao amigo Jhonata, um dos réus a ser julgado em 11 de julho.

Leonardo, primeiro réu interrogado, disse estar arrependido. Foto: Juliano Verardi/TJRS

Leonardo também disse ter sido alvo de uma garrafa, lançada por Francielle, mas que não o atingiu. Ainda de acordo com o réu, Richard ria da cena, já dentro do veículo do pai de Ronei. “Me sinto muito arrependido”, declarou o réu sobre a morte do adolescente.

O segundo réu interrogado na tarde de hoje admitiu ter desferido ‘duas ou três’ garrafadas que atingiram a cabeça de Ronei Júnior. Peterson Patric Silveira Oliveira também reconheceu ter sido o autor de um áudio celebrando as agressões. Ele classificou a gravação como ‘piada infeliz’.

Réu Peterson confirmou que atingiu Ronei Júnior com garrafadas e também se disse arrependido. Foto: Juliano Verardi/TJRS

Nos momentos que antecederam os crimes, o acusado relatou que bebia na rua e que entrou na briga para socorrer um amigo. Peterson também se disse arrependido e confirmou ter visto Leonardo agredindo o pai de Ronei. “Se eu pudesse ter o perdão da família, gostaria de pedir perdão. É difícil isso, tirar o bem mais precioso das pessoas. Só fui ter noção disso na cadeia”, declarou.

“Fui em direção ao veículo (de Ronei), do lado do motorista, onde estava o Raí (um dos adolescentes envolvidos no crime). Tentei puxar ele, mas ele não deu muita bola. Então, já fui saindo”, alegou. Peterson expressou, ainda, que deseja ser condenado.

O último interrogado negou participação nas agressões. Vinicius Adonai Carvalho da Silva afirmou que saía da festa quando notou Leonardo indo em direção à briga. Vinicius alega ter tentado, sem sucesso, persuadir o amigo a abandonar a confusão, e garante não ter enconstado em ninguém no dia dos crimes.

Réu Vinicius afirmou que não encostou em ninguém no dia dos crimes. Foto: Juliano Verardi/TJRS

Os outros seis réus devem ser julgados em julho em duas etapas, nos dias 4 e 11. O MP-RS solicitou que um décimo acusado, denunciado após os demais, seja incluído no último dia do interrogatório dos réus, no dia 11.

Nesta sexta, o júri vai ser retomado às 8h, com os debates em plenário. É a fase em que acusação (Ministério Público) e defesa terão a oportunidade de apresentar aos jurados as teses de cada lado.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Sair da versão mobile