Semana de muita chuva começa com temperatura amena no RS

Norte do Estado e Santa Catarina podem ter temporais e granizo

Foto: Alina Souza/Arquivo/Correio do Povo

Muitas nuvens cobrem o Rio Grande do Sul nesta segunda-feira, com instabilidade no decorrer do dia na maioria das regiões. A chuva ingressa já cedo a partir do Oeste e até o final da manhã atinge a maior parte do Estado. Chove principalmente no Oeste, no Centro e na Metade Norte.

Em diversas cidades do Norte a chuva vai ser forte a torrencial em alguns momentos, com trovoadas e risco de granizo isolado. Mais ao Sul, a nebulosidade aumenta e pouco ou nada chove em várias cidades. Com o tempo instável e ar mais frio atuando, o dia é bastante ameno, com pequena amplitude térmica.

As mínimas rondam os 11ºC em Santana do Livramento e os 10ºC em São José dos Ausentes. As máximas, por sua vez, podem chegar a 19ºC em Capão da Canoa e a 20ºC em Pelotas. Em Porto Alegre, os termômetros variam entre 14ºC e 18ºC.

A MetSul Meteorologia alerta que algumas áreas do Sul do Brasil enfrentam potencial situação de desastre nesta semana em consequência de episódio de chuva extrema que vai trazer em algumas cidades acumulados extraordinariamente altos de precipitação e de incomum ocorrência. Não se trata de um evento de chuva ordinário e os volumes em alguns locais na soma do que já caiu desde sábado com que vai se precipitar até a quinta-feira vão ser equivalentes a quatro ou cinco meses de chuva em poucos dias.

O cenário meteorológico que se desenha é extremamente grave e de elevado perigo em parte do Sul do país, antecipando-se uma série de riscos para a população que incluem alagamentos e inundações, cheias de rios, enchentes, deslizamentos, quedas de barreiras, e bloqueio parcial ou total de rodovias por inundação ou desmoronamentos.

Os maiores volumes de chuva se darão na Metade Norte do Rio Grande do Sul e grande parte de Santa Catarina, onde a maioria dos municípios terá 100 mm a 300 mm em menos de uma semana. O pior, entretanto, vai se dar numa faixa que se estende do paredão da Serra do Mar na região de Torres até a área de Florianópolis, o que inclui grande parte do Sul de Santa Catarina.