PF investiga tráfico de armas e munições para indígenas em conflito na reserva do Carreteiro

Policiais federais cumprem dois mandados de busca e apreensão na cidade de Sananduva

PF em Sananduva. Foto: Divulgação PF/RS

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (12), a Operação Calibre, que investiga o tráfico de armas e munições utilizados em conflitos indígenas ocorridos nos anos de 2020 e 2021 na Reserva Indígena do Carreteiro, situada no município de Água Santa, no Rio Grande do Sul.

Policiais federais cumprem dois mandados de busca e apreensão na cidade de Sananduva.
Durante as investigações, a Polícia Federal apurou que um indivíduo residente em Sananduva estaria fornecendo armas e munições irregularmente aos indígenas em conflito. A ação de hoje tem por objetivo a localização de armas e munições irregulares, bem como a coleta de provas da atuação do indivíduo nos fatos investigados.

A Reserva Indígena do Carreteiro, localizada em Água Santa, tem sido palco de conflitos armados entre grupos rivais que disputam o cacicado. Os conflitos ocasionaram inúmeras tentativas de homicídio e dois homicídios consumados de indígenas.

O crime investigado na Operação Calibre é o tráfico de armas e munições, com pena máxima prevista de 12 anos de reclusão.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com