Melo assina lei que autoriza desestatização da Carris

Segundo prefeito de Porto Alegre, edital para privatização deve ser lançado em março de 2022

Parte das linhas da empresa são operadas, excepcionalmente, por consórcios privados. Foto: Alina Souza/Correio do Povo

O prefeito Sebastião Melo assinou, nesta sexta-feira, a lei que autoriza a desestatização da Companhia Carris Porto-Alegrense. De acordo com o gestor, o lançamento do edital que prevê a venda dos bens da companhia e a concessão das linhas operadas pela Carris deve ocorrer em março de 2022.

“A desestatização faz parte de uma série de medidas para melhorar o transporte público que faliu antes mesmo da pandemia. Além do pacote que inclui a redução das isenções, extinção gradual dos cobradores e repactuação com as concessionárias, estamos trabalhando em conjunto com outros prefeitos para que Estados e a União auxiliem com a criação do SUS do Transporte Público”, destacou o prefeito, em postagem nas redes sociais na tarde desta sexta.

Para os funcionários, além da realização de cursos de capacitação, a prefeitura trabalha com um Plano de Demissão Voluntária (PDV).

A desestatização da estatal de ônibus havia sido aprovada, na Câmara de Vereadores, em 8 de setembro. O projeto teve 23 votos favoráveis e 13 contrários. Dois meses depois, em novembro, um outro projeto do Executivo teve andamento: a extinção gradativa dos cobradores de ônibus, sancionado em 23 de novembro. A expectativa é que o processo seja concluído até 2026. O projeto garante a oferta de cursos de qualificação para todos os cobradores e avaliação, pelas empresas, do aproveitamento em outras funções, inclusive como motorista e mecânico.

Mais recentemente, em 24 de novembro, a Câmara aprovou um projeto enviado pelo Executivo que reduz o número de pessoas com acesso à isenção tarifária no transporte coletivo.