YouTube remove live de Bolsonaro por disseminação de fake news

Plataforma foi a terceira mídia social a retirar o vídeo; mais cedo, o vídeo tinha sido retirado do Facebook e Instagram

Presidente disse que pessoas vacinadas contra a Covid-19 estão desenvolvendo Aids Reprodução / R7

O YouTube removeu, nesta segunda-feira, o vídeo da live do presidente Jair Bolsonaro transmitida na última quinta-feira. Na transmissão ao vivo, Bolsonaro citou a existência de uma mensagem que diz que há relatórios oficiais do Governo do Reino Unido que “sugerem” que os totalmente vacinados estão desenvolvendo Aids “muito mais rápido que o previsto”.

“Recomendo que leiam a notícia. Não vou ler aqui porque posso ter problemas com a minha ‘live'”, disse o presidente. A informação foi desmentida pelo governo britânico ao serviço de checagem de fatos da AFP.

O YouTube foi a terceira mídia social a retirar o vídeo. Nesta segunda-feira pela manhã, não era possível acessar o vídeo nas contas do presidente no Facebook e Instagram — rede social do mesmo grupo.

A Sociedade Brasileira de Infectologia esclareceu no sábado, em um comunicado, que “não se conhece nenhuma relação entre qualquer vacina contra a Covid-19 e o desenvolvimento da síndrome de imunodeficiência adquirida”.