Porto Alegre registra surtos da síndrome mão-pé-boca em três escolas de educação infantil

Doença é contagiosa e causada por vírus do sistema digestivo

A Equipe de Vigilância de Doenças Transmissíveis (EVDT) da Secretaria Municipal de Saúde monitora surtos da síndrome mão-pé-boca em instituições de educação infantil de Porto Alegre. Até esta quinta-feira, foram notificados três surtos, envolvendo 27 crianças. A doença é contagiosa e causada por vírus do sistema digestivo.

Os sintomas mais presentes são as lesões em mãos, pés e boca e os primeiros sinais costumam ser a dor de garganta e febre. “Em dois ou três dias surgem pequenas feridas avermelhadas nas mãos, pés e boca. Também pode ocorrer mal-estar e perda do apetite”, frisou a dentista Evelise Tarouco, da EVDT.

A infecção é mais comum em crianças de até cinco anos, embora também possa ocorrer em adultos. A transmissão ocorre através do contato direto entre as pessoas, contato com saliva, fezes e outras secreções, alimentos e objetos contaminados. As lesões de pele também transmitem a doença.

Não existe tratamento específico ou vacina. Na maioria dos casos é uma doença branda e benigna, que desaparece espontaneamente após alguns dias sem causar complicações. Quando necessário, é recomendado uso de medicações para alivio dos sintomas como dor e febre.