Governo do RS assina contrato de venda da CEEE-T para CPFL Energia

Empresa já havia apresentado uma proposta de R$ 2,67 bilhões pela estatal

Governo do RS assina contrato de venda da CEEE-T para CPFL Energia | Foto: Grupo CEEE / Divulgação / CP

O governo do Rio Grande do Sul assinou, na manhã desta quinta-feira (14), o contrato de venda da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) Transmissão para a CPFL Energia. A empresa venceu leilão após apresentar uma proposta de R$ 2,67 bilhões, o que representa um ágio de 57,13%. O valor inicial para venda, estabelecido pelo Piratini, era de R$ 1,7 bilhão.

A cerimônia de assinatura ocorreu no Palácio Piratini, com as presenças do governador Eduardo Leite, do presidente da CEEE-T e do Grupo CEEE, Marco Soligo, e do presidente da CPFL Energia, Gustavo Estrella. O braço de transmissão da CEEE foi arrematado em 16 de julho pela CPFL durante um leilão realizado na B3, a bolsa de valores em São Paulo. Apesar da CPFL ter oferecido um valor com ágio significativo, a oferta ainda ficou abaixo dos R$ 3 bilhões projetados por integrantes do Palácio Piratini.

Gustavo Estrella falou sobre a crise hídrica no país e a importância de investimentos na transmissão de energia no Estado. “A malha de transmissão mais do que dobrou nos últimos 20 anos. E isso precisa continuar crescendo e temos expectativa de expansão não só de consumo, mas de oferta de energia em curto prazo”, afirma.

A CEEE-T tem 56 subestações, que somam potência instalada própria de 10,5 mil MVA, e opera outras 18 unidades. A empresa também é responsável pela operação e manutenção de 6 mil quilômetros de linhas de transmissão (5,9 mil quilômetros próprios) e cerca de 15,7 mil estruturas (quase 15,3 mil próprias).

Já o governador Eduardo Leite falou que a sociedade espera serviços melhores e que isso é possível através do repasse à iniciativa privada. “O interessa da sociedade é que toda essa capacidade empreendedora encontre capacidade de se transforma em PIB, crescimento econômico com segurança energética, entre outros fatores. Então cabe ao Estado, através das concessões e contratos dizer o que quer e permitir a operação ao privado que se atualiza mais rapidamente”, pontua.

Desde o começo do leilão, a CPFL sempre esteve à frente das concorrentes nas propostas pela CEEE-T. Agora, a administração estadual detém apenas o braço de geração da CEEE. O braço de distribuição da CEEE foi negociado para a Equatorial ainda no final de março e a empresa já opera no Estado.

O edital do segmento de geração de energia, a CEEE-G, deve ser lançado até o fim de 2021. Ainda haverá, no dia 22 de outubro, a privatização da Companhia de Gás do Estado (Sulgás) e, em fevereiro de 2022, a privatização da companhia de saneamento (Corsan). Para o governador, ” o Rio Grande do Sul é um dos estados brasileiros que mais acelera o processo de privatizações atualmente”.