Embrapa Agroenergia divulga resultado do edital InovaBio

Rio Grande do Sul teve três propostas aprovadas

A Embrapa Agroenergia selecionou 34 propostas de 24 empresas para codesenvolvimento ou criação de soluções tecnológicas, de um total de 57 recebidas pelo primeiro edital de inovação aberta da Unidade, o InovaBio. O edital recebeu um número maciço de propostas, de empresas de diversos portes e segmentos. As startups lideram o ranking de aprovação, com 12 propostas selecionadas, seguidas pelas micro e pequenas empresas e empresas de grande porte, com quatro propostas cada. Uma das selecionadas foi um encadeamento entre uma micro e grande empresa.

O edital teve abrangência nacional e foi procurado por empresas das cinco regiões do País e por 11 estados. Considerando apenas uma proposta por empresa, os estados que mais submeteram foram: São Paulo, com dez propostas; Rio Grande do Sul e Paraná, com três propostas; e, com uma proposta, os estados de Santa Catarina, Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Ceará e Pará.

O chefe-geral da Embrapa Agroenergia, Alexandre Alonso, afirma que o objetivo do InovaBio era ampliar as iniciativas de inovação aberta de forma a prospectar e selecionar empreendedores, startups e empresas inovadoras para desenvolverem com a Embrapa Agroenergia novas soluções tecnológicas visando ao desenvolvimento da bioeconomia brasileira.

“Ao pensarmos na moderna Bioeconomia que se consolida a cada dia no Brasil e no mundo, duas grandes cadeias de valor se destacam. São elas as cadeias de valor de biocombustíveis/bioenergia e de química de renováveis/bioprodutos. Portanto, fazia sentido, dentro de nossa orientação estratégica apontada para a cocriação de novas soluções para esses mercados, que nosso primeiro edital tivesse como foco esses dois segmentos”, afirma

A chefe de Transferência de Tecnologia, Patrícia Abdelnur, destaca que o resultado do primeiro edital de inovação aberta da Embrapa Agroenergia foi muito positivo e deixou toda a equipe entusiasmada para os próximos passos. “Ficamos muito satisfeitos por termos recebido propostas de diferentes áreas e de vários estados do Brasil, o que significa que o edital teve grande abrangência”, comemora. A previsão, segundo Abdelnur, é que o edital InovaBio seja aberto uma vez por ano.

A lista das empresas e propostas selecionadas está disponível no site do InovaBio.

Temas com mais propostas aprovadas no edital

Os temas que tiveram mais propostas aprovadas no edital InovaBio foram: “Bioinsumos de origem microbiana ou vegetal para aplicação na indústria e na agricultura”, com 13 propostas aprovadas, seguido por “Biotecnologia Industrial”, com oito propostas, e “Processos químicos e biológicos”, com quatro propostas aprovadas no total.

O tema “Produção e caracterização de enzimas e processos enzimáticos” teve três propostas aprovadas, e os temas “Desenvolvimento de bioinsumos e outros bioprodutos a partir de microalgas e/ou seus subprodutos” e “Processamento e desenvolvimento de biomateriais” tiveram duas propostas aprovadas cada.

Os temas “Processos fermentativos: produção e caracterização de microrganismos em biorreatores” e “Processos e insumos para refino de óleo” tiveram uma proposta aprovada.

A assessora de Planejamento e Qualidade da Unidade Embrapii, Isabela Barbirato, afirma que a variedade de portes de empresas que buscaram o edital demonstra que a Embrapa Agroenergia está preparada para atender as mais diversas demandas apresentadas.

Isabela observa que outro ponto interessante nas propostas selecionadas foi o mercado pretendido. “Interessante mencionar alguns mercados que tiveram maior procura, como o do biogás (5 propostas), o de biofertilizantes (3 propostas), o de biocombustíveis e etanol (4 propostas) e outros, como enzimas, betacaroteno, bioembalagens, fungicidas e defensivos agrícolas”, analisa.

“Conseguimos uma boa abrangência de mercados que estão dentro da nossa área de atuação e que poderemos ajudar no desenvolvimento das tecnologias para garantir a inovação nesses setores. Realmente foi um saldo bastante positivo para a equipe de prospecção da Unidade”, afirma Barbirato.

A supervisora do Setor de Implementação da Programação de Transferência de Tecnologia (SIPT) da Embrapa Agroenergia, Patrícia Barbosa, informa que as empresas selecionadas já estão sendo contatadas pelo e-mail informado na submissão das propostas para iniciar os trâmites para a próxima fase, de negociação da parceria.

“A próxima fase do processo será a assinatura do Acordo de Confidencialidade (NDA) com as empresas selecionadas para iniciar a negociação das parcerias. A fase das reuniões individualizadas entre as empresas selecionadas e os pesquisadores será de extrema importância para entender melhor as propostas e conseguir modelar e propor os escopos de projeto”.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Sair da versão mobile