Funcionários da Procempa voltam ao trabalho após mais de 50 dias de greve

Trabalhadores aceitaram proposta da companhia de processamento de dados de Porto Alegre

Foto: Cristina Leipnitz/Divulgação PMPA

Depois de 56 dias de mobilização, os funcionários da Companhia de Processamento de Dados de Porto Alegre (Procempa) encerraram a greve e voltaram ao trabalho nesta quinta-feira. Os trabalhadores aceitaram a proposta da empresa.

Após várias rodadas de negociação e mediação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT4), a categoria aceitou a reposição de 3% nos salários e benefícios a partir de janeiro de 2022. Uma nova correção, de 3,76%, será negociada em maio.

O acordo também prevê o pagamento dos dias parados, desde que os funcionários recuperem as horas não trabalhadas durante a greve. O prefeito Sebastião Melo decidiu cortar o ponto dos grevistas logo no começo da paralisação e prometeu a retirada do monopólio dos serviços prestados pela companhia.

Os impactos do movimento grevista se deram na dispensação de contas do Departamento Municipal de Águas e Esgoto (DMAE) e no serviço do 156. Nenhuma demanda da área da Saúde ficou sem atendimento.

Os trabalhadores alegam que estão há cinco anos sem reposição salarial. Além disso, já são seis anos sem realização de concurso público, acumulando 23% de perdas salariais e deixando cerca de 70 vagas em aberto.