Morte em carro apedrejado na FreeWay: Polícia identifica terceira tentativa de assalto no mesmo dia

Além de mulher que procurou a Polícia Civil na segunda-feira, mais uma vítima registrou apedrejamento de veículo

Foto: PC / Divulgação / CP

Depois que a Polícia Civil recebeu, na segunda-feira, o relato de uma vítima que teve o carro apedrejado no mesmo dia em que uma mulher morreu, atingida pelo arremesso de um paralelepípedo, na FreeWay (BR-290), uma terceira pessoa registrou ocorrência semelhante, nesta quarta. O homem vai ser ouvido pela 2ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (2ª DPHPP), que comanda a investigação.

A Polícia trabalha com a hipótese de que algum grupo esteja realizando os ataques na região da alça de acesso da ponte antiga, onde Munike Ferreira Krisckhe e o marido tiveram o carro atingido na noite de sábado. A mulher, de 45 anos, chegou a ser internada, mas morreu horas após o crime. O fato de o paralelepípedo ter sido levado ao ponto do incidente reforça a tese de tentativa de assalto.

Conforme a delegada Roberta Bertoldo, responsável pela investigação, ainda não há suspeitos. “Ainda não temos possíveis responsáveis, mas mantemos a hipótese provável de se tratar de alguém jogando pedras para tentar assaltar”, sustenta. “Também estamos coletando informações nos bairros próximos”.

As imagens de câmeras coletadas junto à Empresa Pública de Transportes e Circulação (EPTC) não mostraram a ação de suspeitos do ataque. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que vai se reunir, nesta quinta-feira, com a Brigada Militar e CCR Via Sul para discutir medidas de segurança.

Ainda na segunda-feira, a PRF informou ter reforçado o patrulhamento na área. Já a CCR Via Sul confirmou que, até fevereiro de 2022, as quatro rodovias sob jurisdição da concessionária (BR 290, BR 448, BR 386 e BR 101) serão monitoradas com o projeto de instalação de 1.136 câmeras de segurança, incluindo o trecho da nova ponte do Guaíba.

Munike e o marido tiveram o carro apedrejado quando seguiam para um restaurante na zona Sul. Ferida gravemente pela pedra que a atingiu dentro do veículo, Munike passou por cirurgias no Hospital de Pronto Socorro (HPS), mas não resistiu. Além do esposo, a vítima deixa um filho de seis anos.