Novo diretor-presidente assume EGR com meta de liquidação da empresa

Companhia deve ser extinta quando o processo de concessão das estradas estiver concluído

Foto: Jefferson Bernardes/PMPA

Em posse virtual na tarde desta quinta-feira, o ex-secretário de Infraestrutura e Mobilidade Urbana de Porto Alegre Marcelo Gazen assumiu a diretoria da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). O novo dirigente entra com o objetivo de dar continuidade ao processo de privatização da malha rodoviária estadual.

Gazen assume em razão da saída de Urbano Schimidt, que vai ser empossado secretário-adjunto na Secretaria do Planejamento de Porto Alegre. Ex-secretário de Gestão da Capital durante o governo José Fortunati, Urbano teve como responsabilidade acompanhar as obras para a Copa do Mundo de 2014.

A EGR administra 908 km de rodovias e gerencia 14 praças de pedágio. A companhia deve ser extinta quando o processo de concessão das estradas estiver concluído. Gazen destacou que se trata de um grande desafio assumir a função, lembrando que as privatizações começaram em 1995.

Ainda nas eleições, o governador Eduardo Leite defendia a liquidação da EGR. Em 2018, o então candidato disse, em um painel da Associação Riograndense de Imprensa (ARI), que a EGR é uma concessionária sem contrato de concessão que estabeleça obrigações, recolhendo pedágio sem obrigação de investir.

“Ela (a EGR) está num processo de extinção, mas há muito a fazer ainda”, frisou o secretário de Transportes e Logística, Juvir Costella. A expectativa é que os estudos de modelagem de 21 trechos da malha estadual estejam concluídos até o fim do primeiro semestre.