Paciente morre de Covid esperando leito de UTI em Boqueirão do Leão, relata prefeito

Município vai prorrogar medidas do estado de calamidade pública e lockdown

Foto: Divulgação

Um paciente morreu aguardando transferência para um leito de UTI Covid, nesse fim de semana em Boqueirão do Leão, no Vale do Rio Pardo. É o que relata o prefeito da cidade, Jocemar Barbon. A vítima recebia atendimento no hospital Dr. Anuar Elias Aesse, mas o agravamento do quadro exigia transferência para uma unidade de terapia intensiva.

Em um comunicado, a Secretaria Estadual da Saúde pontua que o paciente internou no dia 18, com quadro moderado, piorando no dia seguinte, por situações que agravaram a falta de oxigenação (hipóxia). A SES garante que a solicitação de leito ocorreu às 15h30min do dia 19, à Central Estadual de Regulação. “Quando a Central determinou remoção para hospital de maior complexidade, o paciente teve uma parada cardíaca e não tinha mais condições de transporte. Morreu às 2h do dia 20/2”, atesta a nota. De acordo com a Pasta, o entendimento é de que o paciente teve agravamento do quadro, o que levou à parada cardíaca antes de a regulação ter tido “tempo hábil para a transferência”.

O prefeito de Boqueirão também enfatiza que a situação é “extremamente preocupante” no que se refere à falta de oxigênio no único hospital do município, que não conta com leitos de UTI. As internações ocorrem em leitos de enfermaria. Barbon disse que a demanda vai ser parcialmente suprida pela Prefeitura de Canoas, que vai fornecer o insumo.

A cidade esteve sob lockdown durante final de semana para tentar conter a disseminação do novo coronavírus. A restrição às atividades econômicas deve ser retomada na próxima sexta-feira ou até antes, conforme o agravamento da pandemia. Durante a semana, as atividades econômicas não foram interrompidas, mas o comércio deve fechar às 19h.