Diminuição de faixa etária, aumento de casos e demanda por leitos podem indicar circulação de nova cepa em Porto Alegre

Para diretor de Atenção Hospitalar e Urgências da SMS, "perspectiva é muito ruim para os próximos dias"

Foto: Reprodução/Twitter

O diretor de Atenção Hospitalar e Urgências da Secretaria da Saúde de Porto Alegre, João Marcelo Lopes Fonseca, alertou hoje para a possibilidade de circulação de novas cepas do coronavírus na cidade. Em vídeos enviados à imprensa, ele disse ter sido registrada, nos últimos dias, uma rápida aceleração na demanda pelos leitos clínicos e de terapia intensiva (UTI), além de grande quantidade de casos positivos e diminuição da faixa etária de pessoas doentes.

“Essas três coisas em conjunto são indícios de mais circulação viral na cidade, o que possivelmente pode estar associado a cepas diferentes”, explicou Fonseca. Ele ainda complementou dizendo que, em razão dessas variantes e da ocupação elevada de serviços hospitalares, “a perspectiva é muito ruim para os próximos dias” na capital.

Ainda segundo ele, a Secretaria da Saúde e a prefeitura seguem trabalhando para a abertura de novos leitos e novas unidades hospitalares para atender a demanda. Além disso, Fonseca reiterou a necessidade de suspensão de cirurgias eletivas, já que os procedimentos cirúrgicos que não são urgentes também exigem leitos e recursos humanos na rede hospitalar.

A Pasta, conforme o diretor, trabalha com a reorganização da rede, com o intuito de direcionar para outros locais os pacientes com Covid-19 que tenham alguma determinada necessidade, com o apoio do Sistema de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Fonseca também apontou que está mais prolongado o tempo de espera por leitos, independente de ser em razão do coronavírus, tendo como prioridade os pacientes graves de UTI em geral. “É extremamente necessário evitar que essa demanda venha a aumentar”, alertou.