Porto Alegre encaminha plano de retomada às aulas ao governo do RS

Governo estadual expediu à Prefeitura, na última quinta-feira, ofício pedindo detalhes do cronograma e protocolos

Foto: Sinepe RS / Divulgação / CP

A Prefeitura de Porto Alegre encaminhou, nesta quarta-feira, ao governo do Rio Grande do Sul, o detalhamento da proposta de cronograma e protocolos para a retomada das atividades presenciais nas instituições de ensino da capital. A decisão de enviar as medidas foi tomada na tarde dessa terça-feira, durante reunião entre as secretarias estaduais e municipais de Saúde e Educação e a Procuradoria Geral do Município.

Em vídeoconferência, na última quinta-feira, o governador Eduardo Leite afirmou que o governo estadual havia enviado, naquele dia, um ofício à Prefeitura pedindo esclarecimentos sobre o planejamento de retorno do ensino presencial. Leite disse, na época, que conhecia alguns detalhes do plano de retomada pela imprensa e temia colisão dos protocolos com os estipulados pelo governo estadual. Naquele dia, também foram notificadas as duas escolas militares do RS, em Porto Alegre e em Santa Maria.

Proposta de retorno

A proposta da prefeitura prevê o retorno da educação infantil a partir de 28 de setembro para alimentação, atividades de apoio e adaptação. Em 5 de outubro, autoriza as escolas de Educação Infantil, 3º ano do ensino médio, educação profissional e educação de jovens a Adultos (EJA) a fazer o mesmo. A partir de 13 do mesmo mês, fica permitida a alimentação em todas as escolas, além de atividades de apoio. A data prevista para retorno do ensino fundamental 1 e educação especial é 19 de outubro, e do fundamental 2, especial e 1º e 2º anos do ensino médio, 3 de novembro.

Dentre os protocolos está o distanciamento mínimo de 1,5m entre as pessoas para escolas de ensino fundamental e médio; evitar contato entre as turmas com escalas para intervalos, uso de refeitório, entrada e saída, entre outras áreas comuns; limite de uma pessoa por vez em espaços de convivência, como sala dos professores, salas de descanso; evitar a presença de pais, cuidadores e outros visitantes no interior da escola; uso de máscara obrigatória a partir do ensino fundamental 2 e higiene dos ambientes.