Entidades veem com cautela anúncio chinês sobre coronavírus em frango brasileiro

Segundo o setor, há desencontro nas informações e baixa probabilidade de que a contaminação tenha ocorrido no país

Foto: Divulgação / BRF

Depois que autoridades chinesas anunciaram ter detectado o coronavírus em um controle de rotina de frango importado do Brasil, entidades brasileiras entraram em alerta. Segundo o setor, há desencontro nas informações e baixa probabilidade de que a contaminação tenha ocorrido no Brasil. Já o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento informou ainda não ter sido notificado oficialmente.

Jorge Luiz de Lima, gerente-executivo da Associação Catarinense de Avicultura, salienta que não há possibilidade de contaminação de produtos por pessoas. Além disso, lembra que o lapso temporal entre a saída do produto da fábrica, o embargo e chegada aos portos da China é de 45 dias, muito maior do que se estima em termos de vida e transmissão do vírus.

Em entrevista ao Guaíba News desta quinta-feira, Lima garantiu que o produtos são submetidos a rígidos protocolos de higiene e qualidade.

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em nota, também informou que não existe certeza sobre em que momento ocorreu a contaminação. De acordo com o comunicado, traços de coronavírus foram detectados na embalagem, e não no produto.

A entidade ainda reitera “que não há evidências científicas de que a carne seja transmissora do vírus”. A associação citou organismos internacionais como a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Uma amostra de asas de frango congeladas importadas do Brasil pela cidade chinesa de Shenzhen, ao sul do país, testou positivo para o coronavírus, disse o governo local nessa quinta, gerando temores de que embarques de alimentos contaminados possam causar novos surtos da doença. Até o momento, porém, nada indica que a doença possa ser transmitida por meio da ingestão de um produto contaminado.

Centros locais de controle de doenças testaram uma amostra retirada das asas de frango como parte das análises de rotina realizadas em carnes e frutos do mar importados de outros países. O resultado divulgado pelo governo chinês ocorre diante de um novo surto em Pequim associado a um mercado atacadista de alimentos na cidade de Xinfadi.

Cifra

O Brasil, maior produtor mundial de carne de frango, era até 2017 o principal fornecedor de frango congelado para a China, por um valor próximo a US$ 1 bilhão por ano e um volume equivalente a 85% das importações do gigante asiático.

Mas nos últimos anos o país perdeu parte do mercado para Tailândia, Argentina e Chile, de acordo com a consultoria especializada Zhiyan.