Porto Alegre bate mais um recorde de pacientes em estado crítico com sintomas de Covid

Na noite dessa terça, total era de 377 pessoas nessa situação

Foto: Maria Ana Krack/PMPA

O número de leitos destinados a pessoas adultas em estado crítico e com sintomas de Covid-19 bateu recorde, na noite dessa terça-feira, em Porto Alegre. Eram 377 pacientes internados nessa situação, dois a mais que os 375 atendidos de forma simultânea em 28 de julho.

No momento, a cidade contabiliza 309 pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus em leitos de UTI e mais dez em vagas de emergência, esperando remoção. Outros 58 pacientes, também em estado grave, recebem atendimento com sintomas da doença, embora ainda sem teste confirmado.

A soma de pessoas em leitos de UTI com sintomas de Covid (367) representa 50,6% dos 725 pacientes internados por todos os tipos de enfermidades.

Quase 40 esperando leito de UTI

Além das dez pessoas com Covid confirmada em estado crítico, mas ainda em leitos de emergência, outras 27, com outras doenças, seguem aguardando uma vaga de UTI. Embora a lotação não tenha atingido 100%, os hospitais vem encontrando dificuldades em contratar mão de obra especializada para atender em todos os leitos disponíveis.

O índice geral de vagas ocupadas em UTIs era de 90,4%, na noite dessa terça. Em 10 dos 17 hospitais, os setores para pacientes graves atendem com 90% ou mais de lotação. Além disso, nem todas as casas de saúde recebem pacientes infectados pelo coronavírus, pelo fato de se dedicarem a outras especialidades.

Entre os quatro principais hospitais de referência para a Covid, o Clínicas atende 86 pacientes com a doença; a Santa Casa, 51; o Conceição, 40, e o Moinhos de Vento, 35. Exceto na Santa Casa, todos atingem ao menos 90% de ocupação. No Moinhos, o índice bateu 100%.

Porto Alegre tinha, até o início da noite, 397 mortes atribuídas ao coronavírus, com 8.778 casos confirmados da doença.

UPA restrita a novos pacientes

Já a Unidade de Pronto Atendimento Moacyr Scliar, localizada na zona Norte de Porto Alegre, seguia com atendimentos restritos, nessa terça-feira.

Apesar da restrição, a ala de observação para pacientes sem suspeita de contaminação pelo coronavírus seguia superlotada. “Sempre temos várias internações e transferências diárias, portanto, o quadro varia muito. Estamos em avaliação”, disse a gerente da UPA, Jaqueline Cesar Rocha.

No domingo à noite, o Grupo Hospitalar Conceição (GHC) relatou a superlotação, orientando os pacientes a buscarem outras unidades de saúde.