Pesquisa revela que 58% dos porto-alegrenses atrasaram contas em meio à pandemia

Levantamento realizado pelo Sindilojas Porto Alegre mostra que população de renda média é a mais afetada

Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

Um levantamento realizado pelo Núcleo de Pesquisa do Sindilojas da capital mostra que mais da metade dos porto-alegrenses teve de atrasar contas desde o começo da pandemia do novo coronavírus. Conforme a sondagem, 58% dos entrevistados precisaram empurrar algum pagamento nos últimos quatro meses, sendo a conta de energia elétrica a principal atingida, para 50,6% desse grupo.

Na sequência, 35,6% atrasaram contas de telefone, 33% o boleto de água e 31% de internet. A fatura do cartão de crédito também deixou de ser paga em dia por 29%.

Cerca de 75% das pessoas começaram a atrasar os pagamentos já no início da pandemia. Outros 24,1% afirmaram que começaram a deixar de pagar algumas despesas apenas recentemente. O cheque especial (crédito oferecido pelos bancos após o correntista utilizar todo o limite disponível na conta) é usado por 12,7% de quem precisou atrasar algum pagamento.

O levantamento mostra ainda que a população de renda média é a mais afetada. Entre a faixa de R$ 2 mil e R$ 6 mil mensais, 42,7% dos entrevistados não conseguiram pagar todas as contas em dia. Entre os porto-alegrenses que recebem menos de R$ 2 mil, 37% se viram obrigados a postergar a quitação de dívidas ou boletos devido à crise.