Covid inviabiliza Acampamento Farroupilha, admitem entidades e Prefeitura de Porto Alegre

Proposta é que a Semana Farroupilha seja realizada virtualmente

Foto: Alina Souza./ Correio do Povo.

Maior evento tradicionalista de Porto Alegre, o Acampamento Farroupilha não vai ocorrer, dentro do mesmo formato, em 2020, em função da pandemia do novo coronavírus.

Ainda a assim, a decisão, já anunciada, de cancelar o acendimento da Chama Crioula em Canguçu, na metade Sul, não vai impedir que a Semana Farroupilha seja lembrada. A proposta é a realização de transmissão de vários eventos através da internet durante os dias que antecedem o 20 de Setembro.

De acordo com o secretário adjunto de Porto Alegre e presidente da comissão de festejos farroupilhas, Giovani Tubino, a proposta é não deixar a Semana Farroupilha em branco. “Neste momento, estamos sob égide de um decreto do Município que proíbe eventos e tudo indica que não há condições de o Acampamento acontecer. Não há como fazer um evento presencial dessa envergadura”.

Tubino ressalta que há sensibilidade com todas as pessoas envolvidas com o evento, portanto, entende que a realização de uma Semana Farroupilha diferente, com eventos transmitidos via internet, colabora para garantir a valorização da cultura gaúcha. O planejamento e os detalhes seguem em andamento dentro da Secretaria Municipal da Cultura.

Lembrando que outros eventos foram cancelados ou transferidos, Gilda Galeazzi, presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), concorda que cada um precisa comemorar “em seu próprio rancho”. “O achatamento da curva de aumento de casos de Covid-19 deve acontecer entre agosto e setembro, mas as pessoas ficarão com receio de estarem juntas em meio à aglomeração do Parque da Harmonia durante o evento. Portanto, é altamente provável que o Acampamento Farroupilha não aconteça da forma presencial. A alternativa virtual é uma via neste momento”, ressaltou, em entrevista ao Guaíba News desta sexta-feira.

Piquetes e CTGs enviaram, na última segunda-feira, um manifesto à presidente do MTG, ao presidente da Comissão dos Festejos Farroupilhas, Cesar Oliveira, ao prefeito Nelson Marchezan Jr., ao secretário municipal da Cultura, Luciano Alabarse, ao secretário municipal da Saúde, Pablo Stürmer, e ao governador Eduardo Leite para pedir o cancelamento do Acampamento Farroupilha 2020.

Uma das justificativas é que muitos dos tradicionalistas pertencem a grupos de risco para contaminação pela Covid-19. A intenção, segundo eles, é dar prioridade à saúde e à vida, dos próprios acampados, e dos mais de um milhão de frequentadores que vão, anualmente, ao Acampamento Farroupilha.