Sistema de crédito cooperativo registra quase 40% em captação de recursos, aponta OCERGS

IPC-S | Foto: Marcos Santos / USP Imagens / CP

Com mais de 440 cooperativas associadas, quase 65 mil empregos, cerca de três milhões de sócios e patrimônio de R$ 18bi (em 2018 era de 15,8 bi), o sistema cooperativo gaúcho registrou em 2019 a cifra de R$ 48.9 bi, um crescimento de 1,4% comparado aos resultados de 2018. A meta, segundo Vergílio Perius , é que 2020 alcance a marca histórica de R$ 50 bi. Só nos ramos de saúde e infraestrutura, que concentra próximo de 2.34 milhões de associados, as sobras (lucros) chegam a R$ 2.4 bi.

Já no segmento do crédito/bancos os repasses de lucros teve um aumento expressivo (13%), que corresponde a R$ 1.4 bi. O total em depósitos a vista e a prazo registrou aumento de 36% [23% a vista (R$ 4.6 bi) e 13% (21,3 bi) a prazo]. Atualmente o RS possui 87 cooperativas de crédito.

O agronegócio, via cooperativas, que no Estado concentra mais de 50% de todos os empregos do Sistema (37,2 mil empregos), movimentou R$ 31.3 bi. O Rio Grande do Sul possui 343,7 mil mulheres e homens do campo integram o cooperativismo, representados por 128 Entidades.

Esses e outros números importantes integram o estudo Expressão do Cooperativismo Gaúcho 2020. Além da apresentação dos resultados, Perius compartilhou com a presidente da Federasul, Simone Leite, as ações que o sistema vem adotando no combate ao coronavírus e quais as perspectivas para o pós-pandemia.  Só no núcleo de “Boas Ações”, o “Coop” gaúcho movimentou R$ 109 milhões, distribuídos em R$ 21.3 mi para linhas de crédito; R$ 14mi em repasses para saúde;  R$ 15mi em um fundo para COVID; R$ 37mi no adiantamento de “sobras”; R$ 5.1mi em isenção de taxas; 4.3 em assistência técnica e mais de R$ 2 milhões em doação de alimentos, além de R$ 9mi em investimentos de ampliação.

Ao ter acesso aos números, Simone Leite, presidente da FEDERASUL, definiu que “os resultados falam por si e comprovam o quão é importante e que o cooperativismo funciona”. Ela também perguntou sobre a importância e qual o sentimento do presidente da OCERGS, sobre os impactos da pandemia. “Cooperar é fundamental em tudo. Para crescer e desenvolver o cooperativismo é essencial. É por meio da cooperação e integração social, do pensamento ao próximo, que iremos vencer mais uma crise”, disse Perius.

Outro dado importante que a Expressão do Cooperativismo 2020 traz são os Ativos do sistema cooperativo gaúcho, que em 2019 registrou valorização de 2,8%, representando R$ 76,4bi.

PÓS-PANDEMIA

Vergilio Perius afirmou que a retomada está diretamente ligada no fomento à construção civil e, que por meio de cooperativas habitacionais, a economia voltará a girar. Segundo ele, a Região Metropolitana de Porto Alegre possui enorme potencial para construção de casas com infraestrutura completa. ”Esse projeto, que é um sonho meu, proporcionará emprego e renda para quem, hoje, está sem trabalhar. É necessário, sempre, que tiremos lições positivas, mesmo em um universo de negativas”, disse.

“DIA C – Dia de Cooperar”

Organizado pelo sistema OCERGS/SESCOOP-RS, a ação é organizada em quatro eixos (doação de sangue; limpeza de córregos, rios e riachos; coleta de agasalhos e cestas básicas e o último segmento é a educação financeira), e ocorre no próximo dia 4/07 – Dia Internacional do Cooperativismo, pelas redes sociais do Sistema OCERGS.