Pela primeira vez, Brasil vota contra fim do embargo a Cuba

Além do País, só Estados Unidos e Israel dividiram o mesmo posicionamento

Chanceler brasileiro Ernesto Araújo. Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O Brasil votou hoje, pela primeira vez, a favor do embargo econômico, comercial e financeiro a Cuba. A votação, que ocorreu por meio de painel eletrônico durante a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, se referia a um projeto de resolução em que o governo cubano condena o embargo imposto pelos Estados Unidos desde 1962.

Em live semanal no Facebook, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre a posição brasileira. “Pela primeira vez o Brasil acompanhou os Estados Unidos na questão do embargo para Cuba. Então, nós somos favoráveis ao embargo para Cuba, afinal de contas, aquilo é uma democracia? Não é, é uma ditadura, então deve ser tratada como tal”, disse.

No Twitter, o chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, também comentou o voto brasileiro contrário ao projeto cubano. “Desta vez o Brasil votou a favor da verdade”, escreveu o chanceler. Além do Brasil, Estados Unidos e Israel votaram contra o fim do embargo.

Desde 1992, a Assembleia Geral da ONU vem sempre aprovando, por ampla maioria, uma resolução que pede o fim do embargo, transformado em lei pelo Congresso americano em 1992. Em 2018, o texto teve 189 votos a favor, com votos contrários apenas dos Estados Unidos e Israel, sem nenhuma abstenção.