Número de beneficiários do 13º do INSS cresce quase três milhões desde 2014

Em agosto deste ano, foram pagos cerca de R$ 22,1 bilhões na primeira parcela do benefício

Foto: Marcello Casal / Agência Brasil

O número de beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que recebem o 13º salário cresceu 9,89% de 2014 a agosto de 2019. Os dados foram enviados pelo INSS ao R7 a pedido da reportagem. Em 2014, o benefício foi pago a 27.590.895 pessoas. Já em agosto de 2019, o número passou para 30.320.244, 2.729.349 brasileiros a mais. Também houve aumento no número de 2018 para este ano, com 206.230 novos beneficiários.

A professora de economia do Insper Juliana Inhasz afirma que o 13º do INSS é importante para movimentar a economia. Em agosto de 2019, foram pagos cerca de R$ 22,1 bilhões na primeira parcela do benefício. Para a especialista, a injeção do dinheiro não chega a criar um grande crescimento. “Com a reforma da Previdência, muita gente começou a procurar se aposentar antes com medo das novas regras”, afirma Inhasz.

Para ela, o medo de perder recursos impulsionou brasileiros a tomarem decisão. Inhasz ainda argumenta que o 13º é “uma garantia de renda, que cria um ambiente positivo de consumo”.  O INSS informa que o 13º salário é pago aos beneficiários que recebem aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão e salário-maternidade. No caso dos dois últimos, o valor do abono é proporcional ao período recebido. As pessoas que recebem benefícios assistenciais, como é o caso do BPC (Benefício de Prestação Continuada), não têm direito.

O advogado João Badari, especialista em direito previdenciário e sócio do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, afirma que dois fatores impulsionam o resultado: o receio sobre a reforma da Previdência e o envelhecimento da população. “A expectativa de sobrevida do brasileiro está aumentando. Aquela pirâmide que a gente tinha de idade, onde a base eram os mais jovens, está mudando completamente”, afirma. Ele também diz que o aumento foi um pouco atípico justamente por causa da reforma. A primeira parcela do abono foi paga aos brasileiros entre os dias 26 de agosto e 6 de setembro deste ano, junto com o valor mensal do benefício. A segunda parcela deve ser paga entre os dias 25 de novembro e 6 de dezembro.

Veja a quantidade de abonos pagos de 2014 a 2019:

2014: 27.590.895
2015: 28.076.512
2016: 29.016.715
2017: 29.646.061
2018: 30.114.014
2019: 30.320.244*

*A assessoria de imprensa do INSS informa que o valor pode variar até o pagamento da segunda parcela, já que o número de beneficiários pode mudar de agosto para novembro. A mudança pode acontecer devido a mortes, pente-finos ou fim do pagamento de benefícios.