Líder em pesquisa para a prefeitura de Canoas, Jairo Jorge comemora resultado

Ex-prefeito tem vantagem de 45 pontos sobre o atual gestor, Luiz Carlos Busato

Jairo Jorge (PDT) governou Canoas entre 2009 e 2016 | Foto: Divulgação

A disputa pela prefeitura de Canoas, em 2020, coloca em destaque o atual ocupante do cargo e seu antecessor. Luiz Carlos Busato (PTB) deve buscar a reeleição. Já o ex-prefeito Jairo Jorge (PDT) confirmou que vai tentar um terceiro mandato. O Correio do Povo desta quinta-feira apresentou uma pesquisa sobre o cenário eleitoral da cidade vizinha a Porto Alegre. O levantamento foi realizado pelo Instituto Methodus.

Jairo Jorge, que governou Canoas entre 2009 e 2016, marcaria 54% dos votos caso a eleição municipal fosse hoje. Busato seria o escolhido por 8,7% dos eleitores. A diferença, entre eles, é de 45,3 pontos. Para o diretor do Instituto Methodus, Jefferson Jaques, os números mostram um caráter de comparação entre as duas gestões. “Eles [os eleitores] percebem que a administração anterior cuidava melhor da cidade”, avalia o pesquisador.

Atualmente, Jairo Jorge é secretário da Educação em Sapucaia do Sul. O pedetista comemorou os números da pesquisa e disse receber os resultados “com humildade e alegria”. Candidato derrotado ao Palácio Piratini em 2018, o político afirmou que não pretende concorrer mais ao governo do Estado. “Eu tenho o sonho de voltar a governar a cidade de Canoas”, pontuou.

O atual prefeito, Luiz Carlos Busato, foi procurado pela reportagem. O petebista preferiu não se manifestar sobre o assunto.

A pesquisa do Instituto Methodus ainda mediu a intenção de voto de outros candidatos. Nelsinho Metalúrgico (PT) obteve 5,8%. Nomes como Felipe Martini (PSDB), Simone Sabin (PSL), Paulo Sérgio (PSOL) e Simone Leite (PP) não chegaram a 5%.

Para o pesquisador Jefferson Jaques, Simone Leite tem notabilidade no mundo empresarial. No entanto, a presidente da Federasul não é tão conhecida do eleitorado. O voto no candidato do PT seria prejudicado pela força do nome de Jairo Jorge, que era filiado ao partido até 2016. Já o PSL, do presidente Jair Bolsonaro, teria potencial conforme o desempenho da economia e da geração de empregos.

Os números são da pesquisa estimulada, quando os nomes dos concorrentes são apresentados ao eleitor entrevistado. O levantamento completo está na edição impressa e no site do Correio do Povo e na página da Rádio Guaíba. Nos próximos meses, o Instituto Methodus fará pesquisas nos principais colégios eleitorais do Estado.