Envolvidos em incidente no Gre-Nal depõem à Polícia; MP instaura expediente

Quatro pessoas foram ouvidas nesta segunda-feira; suspeita negou as acusações

Foto: Reprodução/Twitter

A Polícia começou a ouvir os envolvidos no incidente após o clássico Gre-Nal, no estádio Beira Rio, na noite de sábado. Quatro pessoas, incluindo a suposta agressora e a torcedora do Grêmio que relatou as agressões, prestaram depoimentos na tarde desta segunda-feira.

De acordo com o delegado Miguel Mendes, responsável pelo caso, a torcedora do Inter negou ter ofendido e agredido a gremista. Ainda conforme Mendes, o contexto das imagens também está sendo analisado, em conjunto com o que dizem os envolvidos ao depor.

Ainda segundo ele, o depoimento da torcedora do Grêmio foi “bastante longo”. Além das duas, foram ouvidos um segurança do Inter, que está sendo tratado como testemunha, e outro homem, conselheiro do clube, que aparece nas imagens.

Com base no que foi relatado e na confrontação com as imagens, a torcedora pode ser enquadrada em duas tipificações do Estatuto do Torcedor, segundo o delegado. Conforme o artigo 41B, os enquadramentos devem ser feitos por promoção de violência e injúrias – ofensas de natureza pessoal.

Amanhã, outros envolvidos devem ser ouvidos pelas autoridades. “Vamos tentar remeter o mais breve possível ao juizado do torcedor”, frisou.

Caso ocorreu após o fim do Gre-Nal

O incidente se registrou após o final do clássico Gre-Nal, na presença de um menino, filho da torcedora gremista. As câmeras flagraram uma possível agressão contra ela. A mulher é hostilizada por colorados após erguer uma camisa do time. O grupo tenta, inclusive, arrancar a camisa das mãos dela. Funcionários do clube precisaram intervir para retirar a mãe e a criança. Na tarde de segunda-feira, o Inter anunciou a suspensão da torcedora envolvida.

MP instaura expediente

Já o Ministério Público do Rio Grande do Sul, por meio da Promotoria de Justiça do Torcedor, confirmou ter instaurando hoje um expediente para investigar o episódio a partir de vídeos que circularam em redes sociais e reportagens veiculadas na imprensa.

A partir do material, o promotor Rodrigo da Silva Brandalise solicitou informações aos clubes, Sport Club Internacional e Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, referente à identificação das pessoas que aparecem nas imagens, torcedores e provável segurança do clube mandante; medidas adotadas, caso os envolvidos sejam do quadro social, e imagens do Estádio Beira-Rio. “Precisamos das informações iniciais para saber, inclusive, contra quem direcionar qualquer providência”, explica.

Segundo Brandalise, a Promotoria do Torcedor tomou conhecimento do episódio ocorrido após o clássico a partir de imagens exibidas na TV, já que o fato não chegou ao Juizado do Torcedor instalado no estádio.